Visão Mais

Siga-nos nas redes

Perfil

Não gosta de correr mas quer ser saudável? Comece a andar, mas ao ritmo certo

Visão Mais

Luís Barra

Se está de férias junto ao mar, pode começar já a caminhar pela praia. Um estudo da Universidade de Sydney concluiu que uma caminhada a passo rápido pode ser benéfica para a queima de gordura mas também para a sua saúde

Se está no grupo daqueles que já tentaram correr e não gostaram nada, ou se simplesmente não consegue fazê-lo no calor do verão, fique a saber que há uma alternativa – e que pode usá-la até durante as férias. Só tem de caminhar ao ritmo certo. Caminhar a passo rápido aumenta a esperança média de vida e reduz até 53% as probabilidades de morrer de uma doença cardiovascular.

No mundo do fitness – onde a modalidade é conhecida como powerwalking -, os treinadores têm encontrado uma série de vantagens neste treino. Se fizer o Power Walking como este deve ser feito - com os ombros para trás, a coluna recta, o peito levantado, o abdómen contraído, a olhar em frente, e a um ritmo suficientemente intenso – conseguirá perder peso e queimar gordura. O segredo é manter-se entre os 65 e os 75% da sua frequência cardíaca, para ficar na zona em que queima a gordura corporal. Uma boa sessão deve durar entre os 45 e os 60 minutos, e tal como em outros desportos, como o “spinning”, pode ir alterando os ritmos. Deve conseguir andar uns cinco quilómetros e meio, a um ritmo médio de 9:15 minutos por quilómetro, e conseguir um gasto calórico de cerca de 400 calorias.

Como se isto não bastasse, há ainda outras vantagens a nível físico neste treino. Uma investigação da Universidade de Sydney, publicada no British Journal of Medicine, e feita junto de 50 225 pessoas que caminhavam a diferentes velocidades concluiu que aumentar a velocidade a que caminhamos pode aumentar a nossa esperança média de vida. Os investigadores, que recolheram informação de 11 bases de dados com dados sobre mortalidade da população inglesa e escocesa, entre 1994 e 2008, descobriram que caminhar a passo médio reduzia em 20% o risco de mortalidade em relação a quem caminhava devagar. Esse risco ficava reduzido até aos 24% entre quem caminhava a passos mais rápidos.

Esses ganhos eram ainda mais pronunciados em pessoas mais velhas. Os maiores de 60 anos que caminhavam a passo médio tinham 46% menos de probabilidade de morrer de uma doença cardiovascular. Quem caminhava a passo rápido tinha menos 53% de risco de morte por estas razões.

A enorme vantagem deste treino é que pode ser feito onde quiser e tornar-se mais divertido do que um treino de corrida ou no ginásio. Se essa caminhada for feita na praia, por exemplo, os especialistas dizem que os ganhos podem ser redobrados: a dificuldade em caminhar pela areia aumenta o esforço dos músculos e isso acelera o metabolismo. Também o risco de lesões típicas na corrida diminui com o power walking, já que pelo menos um dos pés deve estar em contacto com o chão durante a caminhada.