Visão Mais

Siga-nos nas redes

Perfil

Quanto mais dinheiro se gasta no casamento, mais perto se pode estar do divórcio

Visão Mais

DR

As conclusões são de um inquérito realizado por dois professores de economia a 3 mil pessoas casadas

Se ainda não pensou em casar porque a cerimónia envolve demasiados custos, aqui fica uma boa notícia: quanto menos dinheiro gastar, mais o seu casamento tem hipóteses de se manter.

A conclusão é de dois professores de economia, Andrew Francis-Tan e Hugo Mialon, da Univerisdade Emory, em Atlanta, Geórgia, que entrevistaram 3 mil pessoas casadas e descobriram que quanto mais dinheiro é despendido tanto no anel de noivado como na cerimónia menos probabilidade há de o casamento durar.

Os resultados das entrevistas aos homens mostraram, segundo os pesquisadores, que, se os custos do anel de noivado ultrapassarem os 2 mil dólares (cerca de 1700 euros), a probabilidade de haver um divórcio é 1,3 vezes maior em relação aos anéis com valores entre os 500 e os 2 mil dólares.

Em relação à amostra das mulheres, a conclusão é de que, nas cerimónias onde se investem mais de 20 mil dólares (valor superior a 17 mil euros), a probabilidade de o casal se divorciar é 1,6 vezes maior do que nos casamentos que custam menos de mil dólares (cerca de 850 euros).

Ao tentarem encontrar fatores comuns que contribuíssem para a a manutenção ou o divórcio dos casais, os professores perceberam que a aparência da pessoa no momento da decisão do casamento também tem impacto (negativo) na sua duração. Ao The Independent, Hugo Mialon contou que "relatar que a aparência de um dos parceiros foi importante na decisão de casar é significativamente associado à pouca duração do casamento".

O único gasto mais elevado que ajuda a manter o casamento é, de acordo com outra conclusão do estudo, a lua de mel: os casais que viajaram a seguir ao casamento têm menor risco de divórcio do que os que não tiveram lua de mel. Por isso, o ideal é gastar menos na cerimónia e aproveitar para fazer as férias com que sempre sonhou.