Visão Mais

Siga-nos nas redes

Perfil

Os alimentos mais e menos viciantes

Visão Mais

Reuters

Um estudo norte-americano concluiu que o pepino é o alimento menos viciante

Paulo Miguel Godinho

Quanto maior for a proporção de gordura e hidratos de carbono num alimento (como é o caso dos alimentos altamente processados) maior é a probabilidade de desenvolver uma dependência perigosa, que apresenta mesmo características em comum com o abuso de drogas. A ligação estabelece-se a partir de dois fatores: a elevada dosagem e a rápida absorção.

Estas conclusões fazem parte de um estudo levado a cabo por investigadores da Universidade do Colorado, EUA, que analisaram um total de 35 alimentos.

“Este é o primeiro passo em direção à identificação de alimentos específicos e as suas propriedades que podem desencadear esta dependência", acredita Nicole Avena, uma das autoras do estudo.

Dentro do grupo dos mais viciantes, destaca-se... a pizza. A lista segue com outros "pequenos prazeres", como chocolate, biscoitos e gelado. A fechar o top 10 encontra-se o queijo que, aliás, é o único alimento que não tem qualquer adição de gorduras saturadas ou hidratos de carbono.

No extremo oposto, nenhum dos últimos 10 lugares é preenchido por alimentos processados. O lugar cimeiro da lista dos alimentos menos viciantes pertence ao pepino; a fruta, os vegetais, os cereais e as leguminosas, ocupam os restantes lugares.

Os autores esperam que este estudo possa levar a uma alteração do modelo de tratamento de doenças relacionadas com perturbações alimentares, como a obesidade, uma vez que potencia a adoção de medidas como as que são tomadas em relação ao consumo de tabaco e de drogas.