Visão Mais

Siga-nos nas redes

Perfil

Vem aí um mês cheio de festas: O guia de sobrevivência

Visão Mais

A família, os amigos que não vê há meses, o plano de festas, as comidas, as ressacas, os horários, o voltar ao trabalho... Nem sempre é fácil, não é verdade? Aqui fica uma espécie de "manual de sobrevivência" para o ajudar a aproveitar ao máximo as festas de Natal e a evitar preocupações desnecessárias

Aproveite para descansar, fazer os inevitáveis disparates alimentares e estar com quem mais gosta. As preocupações sabem sempre melhor quando... são postas de parte.

Se, no entanto, estes dias festivos (e as frases acima) o deixam com comichões, não se aflija. Siga estes 8 passos para conciliar as preocupações com a diversão e aproveitar a época de Natal ao máximo.

CONHEÇA OS SEUS LIMITES SOCIAIS

Natal é sinónimo de convívio, tanto familiar como entre amigos. Posto isto, é natural que o número de festas e eventos em que a sua presença é desejada seja superior ao normal.

Como a clonagem ainda não está aprovada para uso humano, o mais natural é que não consiga "ir a todas" ao mesmo tempo, nem estar com toda a gente com quem desejaria estar.

Em vez de entrar em pânico e acabar por não aproveitar o que vai fazer, crie uma estratégia: priorize os eventos a que mais gostaria de ir.

Lembre-se que ir a uma festa não é sinónimo de ficar até ao último segundo. Ao dividir e organizar o seu tempo, conseguirá aproveitar melhor qualquer evento aonde vá. Poderá até fazer a loucura de ir a vários eventos e visitar vários amigos no mesmo dia, se for viável.

E claro, se não lhe apetecer socializar durante muito tempo, não se obrigue. Oiça as suas próprias necessidades e não se estique para lá delas. O importante é organizar o tempo e harmonizá-lo com a vontade, de modo a aproveitar ao máximo cada momento, com cada companhia.

Se for daqueles que preferem uma boa conversa cara-a-cara, enquanto toma um café, em vez de ambientes superpopulosos em ninguém se entente, então não se acanhe. Ponha de lado as festas e escolha aqueles dois ou três amigos que realmente importam, e faça-lhes uma visita.

PLANEIE O SEU ORÇAMENTO COM ANTECEDÊNCIA

É natural que queira oferecer tudo do bom e do melhor aos seus familiares mais chegados. Mas todos sabemos que o dinheiro, infelizmente, não estica.

Para que tudo corra bem e não haja chatices, o truque passa outra vez pelo mesmo, priorizar. Tire um momento para pensar em quanto deseja gastar no total.

Depois, faça pequenos orçamentos com base nesse valor: quanto precisa de gastar em viagens, em comida, em bebida... e por fim, só depois de todos estes itens estarem riscados, em presentes. Desta forma, consegue evitar aquelas "surpresas" no extrato da conta bancária, em que o dinheiro se desvanece sem se dar conta.

Caso não consiga visitar uma pessoa que lhe seja muito especial ou comprar-lhe "aquela" prenda, opte por algo mais barato mas igualmente cheio de significado: escreva-lhe uma carta sincera e calorosa, do coração. Sugira uma visita numa outra altura em que o orçamento o permita, ou faça uma videochamada.

Não é o ideal, claro, mas é melhor do que ficar parado a questionar as suas escolhas profissionais.

PENSE NO QUE VAI COMER, MAS NÃO SE MARTIRIZE

Uma das melhores coisas da época é a comida. É boa e é muita.

Seguir uma dieta durante este período não é certamente uma coisa fácil. Mas se for mesmo isso que quer fazer, força. Acredite e não deixe que nada o tire do seu caminho.

No entanto, se já sabe que vai pecar com o estomago, não se martirize. Deixe-se levar pelos pratos, pelas sobremesas, pelos doces fora de horas...

Um truque para não se sentir tão culpado quando olhar para a balança em janeiro passa por comer tudo o que lhe apetecer, mas em pratos mais pequenos. Simples, não? Vários estudos apontam que este simples truque "engana" o cérebro e reduz até 30% a quantidade média de comida consumida por refeição.

Outros truques para se sentir saciado com menos comida passam por comer devagar, cortar os alimentos em pedaços mais pequenos e, ao contrário do que seria esperado, não deixar de comer em antecipação a uma refeição - por exemplo, não salte o pequeno almoço quando sabe que o almoço vai ser em grande. Se o fizer, terá um almoço muito mais descontrolado do que o necessário.

SE BEBER, SEJA SIMPÁTICO PARA O SEU "EU" DO FUTURO

Nada contra uma boa festa. Mas se tenciona aproveitá-la ao máximo, pondere festejar numa noite em que saiba que não vai ter muito que fazer no dia seguinte. Sem responsabilidades próximas, também não precisará de ter preocupações

Lembre-se que cada bebida tem um efeito diferente no humor. Se a sua ideia for simplesmente a de relaxar, fique-se pelo vinho ou pela cerveja. Se por outro lado, pretender perder um pouco mais o controlo, as bebidas brancas são a escolha certa.

No que toca à ressaca, a única forma de a evitar é mesmo não bebendo. No entanto, existem formas de a suavizar.

Tente beber um copo de água ou sumo depois de cada bebida alcoólica. Este é um hábito eficaz a adotar para combater os efeitos diuréticos do álcool, que desidratam o corpo ao longo da noite e levam à sensação de "secura" característica da ressaca.

Antes de deitar, também não é má ideia repetir uma boa dose de água. Na manhã seguinte, uma bebida rica em eletrólitos (como uma bebida energética ou água de coco) fará maravilhas pela sua ressaca – ou melhor, pelo fim dela.

Em termos de comidas, também existem alguns truques: ovos para ajudar à dor de cabeça, bananas para combater a moleza e, se possível, uma boa taça de noodles ou de sopa de miso, para repor os níveis de sódio do organismo.

Não se esqueça que, dependendo também da bebida que beber, diferente será a ressaca do dia seguinte.

NÃO PONHA DE PARTE O EXERCÍCIO FÍSICO (A NÃO SER QUE QUEIRA)

Se não pretende "mexer uma palha" durante esta altura de Natal, está no seu direito. Contudo, se é daqueles que mantém um nível regular de exercício físico, não se esqueça que, ao deixá-lo, vai ser muito mais difícil regressar à rotina depois.

Se por outro lado quer continuar a exercitar-se mas não quer que o exercício lhe roube o pouco tempo que tem para aproveitar com a família e amigos, tem várias opções.

Opte por fazer exercício de manhã, enquanto os outros dormem. Se acordar cedo está fora de questão, tente criar atividades mais físicas para fazer em família ou entre amigos: convide alguém para uma caminhada, dance músicas de natal com a família, corte lenha à machadada... as possibilidades são infinitas.

ADAPTE A SUA ROTINA DE TRABALHO

Se precisar de trabalhar e não houver volta a dar, faça-o, mas moderadamente - Nunca se esqueça que as férias existem por um motivo.

Ponha de parte algum tempo diário para dedicar exclusivamente ao trabalho, dependendo de quanto precisar. Nesse tempo, não se distraia com nada mais e concentre-se no seu objetivo laboral para o dia.

Depois desse tempo, desligue-se completamente do trabalho e dedique-se novamente às festas. Vai saber-lhe muito melhor assim.

TIRE UM DIA SÓ PARA SI ANTES DE VOLTAR AO TRABALHO

Para evitar aquela sensação penosa de regresso ao trabalho, tente que o último dia de descanso seja dedicado a si e às coisas que precisam de ser tratadas na casa antes de voltar a entrar na rotina.

Vá às compras, ponha a roupa a lavar, limpe a casa, organize-se para o dia seguinte, descanse: faça o que for preciso para o primeiro dia de trabalho não ser um caos.

No caso de ter ido viajar e não lhe apetecer voltar um dia mais cedo só para isto, pense com antecipação: trate de todas essas coisas antes de sair de casa.

Quando regressar, vai ter logo tudo organizado à sua espera. Terá apenas de se sentar, relaxar e esperarpelo inevitável.

MAS MAIS IMPORTANTE QUE TUDO

Não se esqueça do real sentido desta época, tenha férias ou não: uma fuga à rotina de todos os dias.

Se acha que cometeu alguns erros, seja na alimentação ou nas responsabilidades laborais, não stresse. Trate bem de si e perdoe-se - não há erro sem solução. E, acima de tudo o resto, divirta-se. Afinal, você merece.