Visão Mais

Siga-nos nas redes

Perfil

Guia para a prática de sexo seguro... no mundo virtual

Visão Mais

DR

Há sempre riscos quando se pratica sexo, seja ele real ou virtual. A revista Motherboard está preocupada com a segurança dos adeptos do sexting e elaborou uma lista de conselhos. Para não ser apanhado em falso na rede

Sexting: envio de imagens digitais de conteúdo sexual, normalmente através do telemóvel. Uma atividade que se vem tornando banal, mas que às vezes dá para o torto. Às vezes porque o recetor da mensagem não está na mesma onda, como terá acontecido no caso do ex-secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Bruno Maçães, acusado por uma jornalista de lhe ter mando fotos de cariz sexual sem que ela o tivesse solicitado.

O manual da revista americana já vem tarde para Bruno Maçães. Mas talvez ainda venha a tempo para si. A saber:

1- Peça consentimento explícito

Nunca mande uma foto íntima sem antes perguntar se o seu companheiro(a) de brincadeira a quer receber ou se está disponível para isso naquele momento - ninguém quer estar a meio de uma reunião de trabalho ou no corredor do supermecado e ser surpreendido com um nu. Além do consentimento explícito, defina bem os moldes em que a coisa se irá dar. Horários, plataforma utilizada, tipo de fotos.

2- Esteja atento aos pormenores que aparecem nas fotos

Antes de enviar a foto, pense se quer mesmo incluir pormenores que o identifiquem. Como piercings, tatuagens, rosto, detalhes de decoração. Uma opção é desfocar parte da foto para que não seja possível associá-lo à mesma.

3- Desative o armazenamento automático das fotos

O iCloudPhoto Library e o Google Photos fazem o backup automático das fotos e vídeos. Incluindo as das poses provocantes. Se não quer ser surpreendido considere desativar esta capacidade, que reconhecemos ser extremamente útil (caso perca o telefone, por exemplo). Normalmente é através do iCloud que os hackers chegam às fotos das celebridades, libertando-as depois na rede mundial.

4- Elimine os dados Exif

A cada foto está associada uma série de metadados, como o local onde foi tirada, a hora ou a marca do aparelho, os chamados dados Exif. Se não conhecer bem a pessoa a quem está a enviar as imagens, e não quiser que esta saiba quem é, o melhor é limpar a foto de toda esta informação adicional antes de a enviar. Para o fazer, precisa de instalar uma aplicação. No sistema iOS, por exemplo, pode fazê-lo com a ViewExif.

5- Use uma aplicação dedicada

Assegure-se de que escolhe uma aplicação para as suas brincadeiras diferente daquela que usa para falar com a família, por exemplo. Niguém quer ser apanhado pela mãe, ou pelo filho, numa troca de remetente.

Mesmo cumprindo tudo isto à risca, ninguém se livra de ser apanhado em falso. Quer por uma falha própria, quer por uma traição do parceiro de brincadeiras (que pode lançar as fotos na rede). Mas o risco também faz parte da graça do sexting.