Visão Mais

Siga-nos nas redes

Perfil

E se a sensibilidade ao glúten simplesmente não existir?

Visão Mais

A doença celíaca é bem real. Já a agora tão falada sensibilidade ao glúten... pode, afinal, não ter nada a ver com glúten

Uma equipa de investigadores da Noruega e da Austrália fez uma experiência com 59 pessoas e publicou agora a surpreendente conclusão: O inchaço e desconforto abdominal que muitas pessoas, sem doença celíaca, relatam após a ingestão de pão pode não ter nada a ver com o glúten, mas com outro componente do trigo: os frutanos. Estes são um tipo de hidrato de carbono encontrado, além do trigo, em alimentos como a cebola, o alho e outros vegetais.

Estudos anteriores já tinham deixado perceber uma possível ligação entre os frutanos e a síndrome do intestino irritável, o que levou os investigadores a interrogarem-se se este elemento estaria também na origem de outros problemas digestivos. Para esta investigação contaram com a participação de 59 pessoas que se auto-diagnosticavam com intolerência (não celíaca) ao glúten. Ao longo de várias semanas, cada uma consumiu barras de cereais e anotou os sintomas que teve. Algumas das barras tinham glúten, outras frutanos, outras nem uma coisa nem outra.

Depois de analisar os registos feitos pelos voluntários, descobriram que a maioria teve o típico inchaço apenas depois de ingerir as barras de cereais que continham frutanos - quando comiam as que tinham glúten e as de controlo não sentiam qualquer desconforto.

Os investigadores sublinham que esta é uma descoberta importante, uma vez que as dietas com baixo nível ou completamente sem glúten foram associadas, num estudo da Universidade de Harvard, a um risco maior de desenvolvimento de diabetes tipo 2.

A doença celíaca é uma doença auto-imune que ocorre em indivíduos com predisposição genética causada pela permanente sensibilidade ao glúten.