Visão Mais

Siga-nos nas redes

Perfil

Sim, a canela ajuda a emagrecer mas não vale pena desatar a comê-la às colheres

Visão Mais

DR

Um óleo essencial que confere à canela o seu sabor característico pode ajudar a acelerar o metabolismo, mostra um estudo

Em estudos anteriores, o cinamaldeído, um óleo essencial da canela, já mostrou proteger ratos de laboratório contra a obesidade.

Um grupo de cientistas da Universidade de Michigan descobriu recentemente o porquê: O óleo parece estimular a termogénese, um processo metabólico do corpo que queima calorias e as transforma em calor. Ao estimular este processo, as calorias são queimadas mais rapidamente, o que leva a um emagrecimento mais rápido.

Os cientistas estavam já cientes dos benefícios metabólicos do cinamaldeído referidos em estudos anteriores, mas queriam compreender o processo por detrás dos efeitos.

"Os cientistas estavam a descobrir que este composto afetava o metabolismo", explica o professor assistente e autor do estudo, Jun Wu, da Universidade de Michigan. "Então nós quisemos descobrir como – qual o caminho que podia estar envolvido; como parecia em ratos e como parecia em células humanas", diz.

Para tal, testaram uma série de células adiposas humanas sob o efeito de cinamaldeído e repararam que, após o tratamento com a substância, as células possuíam níveis superiores dos genes e enzimas que aumentam o metabolismo de gordura.

A observação levou os investigadores a concluir que, quando consumido por humanos, o cinamaldeído - ou a canela – provoca a termogénese e, consequentemente, a queima de gorduras pelo corpo.

"A canela faz parte da nossa dieta há milhares de anos, e as pessoas constumam gostar dela", diz. "Então, se também pode ajudar a proteger contra a obesidade, pode oferecer uma abordagem à saúde metabólica a que os pacientes adiram mais facilmente".

Wu também tem uma teoria para explicar os níveis crescentes de obesidade e acredita que a resposta está na forma como o ser humano evoluiu.

Os antepassados humanos não tinham acesso a alimentos ricos em gordura e, portanto, tinham a necessidade de acumular gorduras no corpo a longo prazo. Esta gordura era mais tarde transformada em energia e usada pelo corpo em tempos de escassez de alimentos ou no combate contra o frio.

Este processo acompanhou os humanos durante toda a evolução, como um mecanismo de sobrevivência. No entanto, a vida cada vez mais sedentária fez com que deixássemos de usar a gordura acumulada da mesma forma, deixando-a assim mesmo, "acumulada".

"Apenas relativamente recentemente é que o excesso de energia se tornou um problema", explica Wu.

"Ao longo da evolução, o oposto – o défice de energia – foi o problema. Portanto, qualquer processo consumidor de energia desliga-se a partir do momento que o corpo não precise dele", contribuindo para a obesidade.

Mas cuidado, leitor. Antes de se pôr a comer colheres de canela para emagrecer, precisa de ter algumas coisas em conta: Primeiro, os testes foram realizados apenas em células adiposas separadas de um organismo, e não em seres humanos "completos"; E segundo, os investigadores defendem serem precisos estudos adicionais para descobrir a dosagem de canela indicada, de modo a poder receber todos os benefícios e nenhum dos malefícios do seu consumo excessivo.