Visão Mais

Siga-nos nas redes

Perfil

O amor é lindo, mas há posições sexuais perigosas que podem provocar lesões

Visão Mais

DR

Se pensa que as posições sexuais mais estranhas são as mais perigosas então está enganado. Um grupo de especialistas analisou a "Relação entre a posição sexual e a gravidade da fratura do pénis" e fez descobertas supreendentes

As lesões durante o sexo são incomuns mas não inexistentes. E algumas surgem com as posições sexuais mais comuns.

Um novo estudo intitulado “Relação entre a posição sexual e a gravidade da fratura do pénis” revelou quais são as posições mais perigosas para o homem durante o ato sexual. E a segunda vai, provavelmente, surpreendê-lo.

Uma equipa de médicos especialistas na área, analisou 90 pacientes, com uma média de 39 anos, que foram diagnosticados com fraturas penianas. Posteriormente avaliaram os perigos das diferentes posições sexuias.

De acordo com os médicos, a posição “doggy style” ou de quatro, é a posição sexual mais perigosa para os homens. Esta posição, apesar de ser muito comum, é responsável por 41% das fraturas penianas.

Em segundo lugar, curiosamente, surge uma posição convencional e, provavelmente, a mais comum: missionário. De acordo com o estudo a posição, que consiste no homem ficar por cima da mulher, é responsável por 25% das fraturas do pénis.

O terceiro lugar ficou para a posição em que a mulher fica por cima do homem responsável por 10% das lesões. Nesta posição o homem fica sem poder controlar o ato e a mulher pode fazer movimentos de inclinação perigosos que podem resultar numa fratura do pénis.