Visão Mais

Siga-nos nas redes

Perfil

Teste: O que causa a sua alergia?

Visão Mais

  • 333

PHILIPPE HUGUEN/ Getty Images

Da obra "O Grande Livro das Alergias", extraímos uma lista dos sintomas e um teste

No livro, Leo Galland, médico e especialista em "medicina integrativa" e Jonathan Galland, um dos principais divulgadores do tema nos EUA, propõem-se revelar "toda a surpreendente verdade" sobre a forma como caímos às mãos das alergias e como podemos alcançar a cura.

"Nas alergias, o trabalho de detetive é a procura de estímulos. Nada produz um alívio tão drástico e total como identificar um estímulo alérgico e eliminá-lo", escrevem.

"Por vezes, o estímulo é óbvio porque os sintomas são imediatos e a exposição a ele é episódica. Regra geral, a alergia a gatos ou a amendoins enquadra-se na categoria 'óbvia'". Mas porque muitos outros estímulos não são óbvios, segue-se uma lista para ajudar o leitor a identificar os estímulos não óbvios dos seus sintomas alérgicos:

Alguns sintomas são (anote os seus):

- Cansaço – físico ou mental

- Mal-estar geral ou indisposição

- Problemas de peso

- Dores

- Azia

- Dor abdominal

- Dor nas costas ou no pescoço

- Dor nas articulações

- Dor muscular

- Problemas de sono

- Perturbações de humor

- Problemas cognitivos

- Tonturas

- Comichão, inchaço ou vermelhidão

- Nariz a escorrer, espirros

- Gotejamento pós-nasal, pigarreio

- Sensação anormal de olfato ou paladar

- Tosse

- Dificuldade em respirar

- Palpitações

- Gases

- Diarreia

- Obstipação

- Pele seca ou escamada

- Acne

- Queda de cabelo

- Outros sintomas que sente

Responda agora às perguntas que se seguem para cada sintoma na lista de sintomas que anotou. Estas perguntas referem-se a sintomas que variam em gravidade ou que vêm e vão. Estes são os tipos de estímulos mais comuns, mas a lista não é exaustiva.

- Existe um ritmo para a ocorrência ou gravidade do sintoma?

- É pior durante a noite ou pela manhã, ao acordar?

Pode ser alguma coisa que comeu na noite anterior.

Pode ser alguma coisa no seu quarto:

- Pó e ácaros são os alergénios mais comuns do quarto. Escondem-se em tapetes, cortinados, almofadas, colchões, livros e bonecos de peluche.

- Detergente ou amaciador para a roupa usados nos lençóis podem ser um problema.

- Houve uma fuga de água ou inundação, talvez numa casa de banho adjacente?

- Há muito mobiliário de madeira prensada ou contraplacado? Quando os móveis são novos ou estão molhados, podem libertar formaldeído, um alergénio e irritante.

- Há um tapete ou cortinados novos, ou a divisão foi pintada recentemente? Estes compostos orgânicos voláteis (COV) que se libertam sob a forma de gás podem provocar sintomas alérgicos ou tóxicos.

- O seu colchão é novo ou muito velho? Em qualquer dos casos, pode ser uma fonte de COV.

- O seu animal de estimação dorme consigo?

- O sintoma não é mau de manhã, mas piora à noite ou à medida que o dia vai passando?

Considere a possibilidade de ser alérgico a um alimento que ingere todos os dias.

- Piora nos dias de semana?

Talvez haja um estímulo no emprego ou na escola.

- Piora nos fins de semana?

- Muda a sua alimentação e as bebidas ao fim de semana?

- Como passa o tempo livre nos fins de semana? Onde é que vai?

- Piora antes do período menstrual?

Pode ser alérgica a progesterona. Depois da ovulação, o nível de progesterona no corpo sobe drasticamente. Precisará de um bom alergologista para fazer essa análise.

Pode ser alérgica a fungos. O nível de fungos no seu corpo aumenta antes do período menstrual, devido aos níveis mais elevados de progesterona.

- Piora na primavera?

É provável que seja alérgico ao pólen. Verifique os níveis de pólen na sua região na altura do pico dos sintomas.

- Piora no final do verão ou no princípio do outono?

É provável que seja alérgico ao pólen. Verifique os níveis de pólen na sua região na altura do pico dos sintomas.

- Piora em meados ou no fim do outono?

- É provável que seja alérgico ao bolor. Verifique a contagem de esporos de bolor na sua região.

- Piora quando chega o calor?

Verifique se há contaminação no sistema de ar condicionado. O bolor é uma forte possibilidade, embora em algumas pessoas seja apenas uma reação ao ar frio.

- Melhora a meio do inverno, quando está muito frio?

É provável que seja bolor ou pólen.

- Melhora no verão, esteja onde estiver?

A alergia alimentar costuma melhorar no verão.

- Há lugares onde o sintoma tem maior probabilidade de ocorrer ou piorar?

- No interior: considere a possibilidade de bolor, pó, ácaros ou alguma contaminação ou poluição na sua casa ou local de trabalho. Existe uma longa lista de possibilidades.

- No exterior: considere a possibilidade de bolor, pólen ou poluição atmosférica.

- No campo: considere o bolor, pólen local ou poluição agrícola.

- Na cidade: considere a poluição de escapes de veículos, fumos de diesel, lavandarias e outras fontes urbanas.

- No seu carro?

Se for novo, é provável que tenha níveis elevados de COV. Se for velho, procure bolor ou fugas no sistema de escape.

- Em comboios ou aviões: os COV de produtos de limpeza são possíveis culpados.

- Num hotel:

Se for novo, ou tiver sido renovado recentemente, é provável que a alergia se deva aos COV de produtos de limpeza, mobiliário ou materiais de construção; Se for velho, é provável que seja bolor ou pó.

- Há lugares onde é menos provável que o sintoma ocorra ou tem menor probabilidade de ser grave?

- De férias? Talvez haja alguma coisa na sua casa ou local de trabalho com alergénios.

- No campo, nas montanhas, na praia? Talvez seja um poluente no ar da cidade.

- Na cidade? Talvez sejam esporos de bolor exterior.

- Há condições ambientais em que é mais provável que o sintoma ocorra ou piore?

- Tempo húmido? Podem ser esporos de bolor exterior.

- Antes de uma trovoada? Provavelmente, esporos de bolor exterior.

- Em dias limpos e ventosos? Provavelmente, pólen ou pó.

- Há atividades durante ou depois das quais é mais provável que o sintoma ocorra ou piore?

- Limpeza da casa? Pense em pó.

- Jardinagem? Pense em bolor.

- Comer ou beber? Pense em alimentos.

- Toma medicamentos que parecem piorar os sintomas?

- Antibióticos? Se não for alérgico ao antibiótico, talvez seja alérgico ao fungo que está a crescer nos seus intestinos por causa do medicamento. Ao destruir as bactérias, os antibióticos deixam o seu aparelho digestivo propenso a um crescimento excessivo de fungos.

- Toma medicamentos que lhe pareça fazer melhorar o sintoma?

- Anti-histamínicos? Os sintomas que estes medicamentos ajudam a tratar são muitas vezes causados por alergia.

- Corticosteroides? Regra geral, aliviam os sintomas da alergia enquanto está a tomá-los e também podem ajudar a reduzir a inflamação não alérgica. No entanto, os corticosteroides têm efeitos secundários muito sérios.

- Antibióticos? Normalmente, ajudam as infeções bacterianas, mas alguns têm efeitos anti-inflamatórios que são distintos dos efeitos antibióticos. Considere três possibilidades: O sintoma que melhora com um antibiótico é o resultado de uma infeção bacteriana que é consequência da inflamação causada por um problema alérgico subjacente; O problema alérgico é o resultado de uma infeção bacteriana; A melhoria não está relacionada com o efeito antibiótico da medicação. Existe outra explicação

O Grande Livro das Alergias, de Leo Galland com Jonathan Galland, Lua de Papel