Visão Júnior

Siga-nos nas redes

Perfil

No meu mundo eu voei, no teu não sei, mas espero descobrir...

Textos dos leitores

Texto da leitora Rita Espírito Santo Varela, 11 anos, Castro Verde

Uma noite de chuva, eu não conseguia dormir, olhava pela janela, e uma luz incandescente sorria para mim como se eu tivesse salvo o mundo...

Sempre que ia para a cama, aquela luz incandescente ultrapassava os meus lençóis, como se eles fossem... papel de lustro...

De repente ouvi um barulho de uma buzina, e fui rapidamente para a janela, para ver o que se passava. Olhei e não vi absolutamente nada... seria nos meus sonhos que o ouvira?

Abri a janela, e voltei os meus olhos para cima, aquela luz que entrava pela janela, era simplesmente, a Lua que, segurava um comprido e prateado cordel. Estende-o para baixo e pediu-me que subisse.

Mas quando a Lua me estava a pedir para subir, senti o meu corpo leve, e muito suave... estava a voar. Não imaginava que um dia o conseguisse fazer mas, consegui eu voei até á lua simplesmente, por ter acreditado que um dia o conseguiria fazer...

Já de manhã, quando os meus pais me foram acordar, não me encontraram, viram apenas a janela aberta e tiveram um pressentimento diferente, foram levados pelo vento até à janela, e, quando olharam para cima, eu estava lá, bem enrroscadinha, a dormir com a Lua...