Visão Júnior

Siga-nos nas redes

Perfil

Bora!

Fora de casa

  • 333

As festas de Lisboa são uma excelente oportunidade para percorrer as ruas da cidade, aproveitar os festejos populares: arraiais, sardinhas, manjericos, marchas e casamentos

Que melhor mês que este, em que se se festejam as festas de Lisboa, para se (re)visitar a cidade que existia antes do Terramoto de 1755?

É tudo uma grande confusão. A cidade de Lisboa festeja, dia 13 de junho, Dia de Santo António, que nem nasceu nesse dia nem é, sequer, o padroeiro de Lisboa...! Vamos lá pôr tudo isto em ordem e festejar como deve ser.

O padroeiro de Lisboa é São Vicente, santo mandado matar pelos romanos, protegido pelos cristãos dos Algarves, resgatado por D. Afonso Henriques e sempre acompanhado pelos corvos que se tornaram símbolo da cidade. E Santo António? É um santo do povo, casamenteiro, padroeiro dos namorados, protetor dos pobres, santo dos objetos perdidos... com dotes tão terrenos que mais depressa se aproximou das gentes da Lisboa que o viu nascer.

As festas da cidade celebram-se a 13 de junho - data que, presume-se, coincide com a da sua morte. Mas a confusão não para aqui. Porquê festejar a sua morte, que foi em Pádua, e não o seu nascimento,  em Lisboa? Os santos ficam conhecidos pelo sítio onde morreram, pelo que o Santo Antoninho alfacinha é conhecido, por esse mundo fora, como Santo António de Pádua - e não de Lisboa.

Quadra popular

Santo António, Santo António

Ó meu Santo milagreiro

Arranja uma moça bonita

Para um rapaz solteiro.

 

Ó Santo António de Lisboa

Tu que tens fama de casamenteiro

Se o casamento fosse coisa boa

Tu próprio não ficavas solteiro!

 

Ó meu rico Santo António,

és um santo popular,

na tua festa

não falta sardinha para assar.

 

Santo António

Santo Antoninho

Dá-me um copo de água

Que eu dou-te um de vinho.