Visão Júnior

Siga-nos nas redes

Perfil

Jornalista inicia viagem de sete anos a pé, da Etiópia ao Chile

Notícias

  • 333

Com a intenção de reviver um dos primeiros percursos migratórios dos nossos antepassados, há 50 ou 70 mil anos, ao mesmo ritmo, o premiado jornalista Paul Salopek partiu no passado dia 3 da vila de Herto Bouri na Etiópia, rumo à Tierra del Fuego, no Chile

Chegue atrasado Por duas razões: Em primeiro lugar para evitar ter de fazer sala com aquela colega aborrecida com quem nunca trocou uma palavra e que é sempre a primeira a chegar; E em segundo, porque, assim, quando chegar, todos terão uma desculpa para interromper as conversas de circunstância: "Olha quem chegou!"
1 / 5

Chegue atrasado Por duas razões: Em primeiro lugar para evitar ter de fazer sala com aquela colega aborrecida com quem nunca trocou uma palavra e que é sempre a primeira a chegar; E em segundo, porque, assim, quando chegar, todos terão uma desculpa para interromper as conversas de circunstância: "Olha quem chegou!"

Nunca se ofereça para planear... e muito menos para limpar Os "homens a sério", garante a GQ, deixam os detalhes sujos para os outros, porque estão ocupados a ter ideias fantásticas
2 / 5

Nunca se ofereça para planear... e muito menos para limpar Os "homens a sério", garante a GQ, deixam os detalhes sujos para os outros, porque estão ocupados a ter ideias fantásticas

Leve sempre um acompanhante É a melhor desculpa para ser anti-social
3 / 5

Leve sempre um acompanhante É a melhor desculpa para ser anti-social

Guarde as substâncias ilícitas para quando o patrão estiver a falar Pode querer sair dalí quando estiver a ouvir falar do ótimo desempenho da empresa que em nada reverte para si
4 / 5

Guarde as substâncias ilícitas para quando o patrão estiver a falar Pode querer sair dalí quando estiver a ouvir falar do ótimo desempenho da empresa que em nada reverte para si

Se não houver um «depois da festa», faça com que haja Só para o caso de precisar desanuviar depois da festa oficial
5 / 5

Se não houver um «depois da festa», faça com que haja Só para o caso de precisar desanuviar depois da festa oficial

A viagem de 34 mil quilómetros deverá demorar sete anos ininterruptos. O ponto de partida foi escolhido como representante do berço da humanidade, depois de terem sido descobertos neste local alguns dos mais antigos fósseis de Homo Sapiens registados, com cerca de 160 mil anos.

Licenciado em biologia e duas vezes vencedor do prémio Pulitzer de jornalismo, Paul Salopek acredita que o Homem evoluiu, apreendendo o mundo à velocidade a que caminha: "Fomos desenhados para absorver informação a cerca de 5 km/hora", estima.

Numa entrevista à rádio canadiana CBC, em resposta à questão de "Porquê a pé?", Salopek explica que "quando saímos do nosso veículo somos forçados a interagir com as pessoas. Estamos literalmente ao mesmo nível que as nossas fontes. O melhor jornalismo é colaborativo (...) Viverei com as pessoas que habitam os problemas". 

Na base do seu projeto está ainda uma crítica ao paradigma atual do consumo de informação na sociedade, que Salopek descreve como uma "sobrecarga". Há "demasiada informação, mas falta de significado", defende, distinguindo o "jornalismo industrial" e o que ambiciona fazer e que classifica como "jornalismo lento", caracterizado pela importância do "contexto, outra camada de sentido".

Apesar da viagem pelo "passado", o jornalista tenciona abordar assuntos atuais, abordando-os, no entanto, de uma perspetiva diferente.

Desacelerar 

Salopek espera que a jornada lhe desacelere o processo de escrita, e espera ainda conseguir desacelerar os leitores, "expandindo as suas capacidades de atenção", cujo padrão de consumo de informação julga estar atrofiado numa era "em que um maremoto de informação nos está a inundar a todos".

O projeto tem o apoio da National Geographic, que manterá um site na Internet atualizado a cada 160 quilómetros com uma fotografia panorâmica e as respostas da pessoa mais próxima, nesse ponto, às questões "Quem é? De onde vem? Para onde vai?".