Visão Júnior

Siga-nos nas redes

Perfil

Estudante cria jogo para prevenir o Bullying

Notícias

  • 333

Uma estudante do Instituto Politécnico de Bragança criou um jogo que pretende ajudar as crianças a identificar eventuais situações de risco. É um jogo de tabuleiro mas também é possível jogar no telemóvel ou no tablet

Reportagem SIC

O que é o bullying?

Quando alguém, dia após dia, é alvo de gozo, humilhação, exclusão, roubo ou agressão física.

Pede ajuda

A maioria das agressões mantém-se porque as pessoas não pedem ajuda. Têm medo de ser chamadas de "queixinhas" e que as agressões aumentem. Sejam vítimas ou espetadores. Então preferem calar-se. Os especialistas em bullying dizem que quando as pessoas falam, as situações resolvem-se e as agressões desaparecem. Mas sabemos que é complicado fazê-lo. Sugerimos algumas formas seguras para que se possa comunicar uma situação de bullying:

- Escrever a situação num papel e entregar a um dos professores

- Falar com os pais e pedir-lhes que falem com um professor 

O que fazer quando acontece uma situação de bullying perto de ti

O bullying acontece quando os adultos não estão por perto. E, na maioria das vezes, há sempre outras crianças a assistir. Mas quem assiste raramente faz alguma coisa porque tem medo que possa vir a ser a próxima vítima. Este medo só vai ajudar os agressores a sentirem-se mais fortes e a continuarem a maltratar. Há várias coisas que podes fazer. Mas é importante que te sintas seguro e preparado para as fazeres:

- Sair do local - isto mostra aos agressores que não achas piada ao que estão a fazer

- Dizer por exemplo "isso não tem piada" e sair do local - outras pessoas vão ouvir e sentir mais confiança para se juntarem nesta decisão

- Ser amigo - muitas pessoas são vítimas de agressões porque não têm amigos e costumam andar sozinhas. A amizade vai dar força para que as vítimas consigam reagir e ultrapassar estas situações

- Pedir ajuda a outros colegas e juntos dizerem aos agressores que não acham piada ao que estão a fazer

- Chamar um adulto - muitas vítimas têm medo de pedir ajuda, pensam que os agressores vão ficar mais violentos. Mas se sentirem o apoio de outro fazem-no mais facilmente. Podes ajudar estas pessoas se as acompanhares junto de um adulto para que contem o que está a acontecer

O papel dos professores

Os professores são fundamentais nestas situações porque podem atuar na hora e local, uma vez que as agressões costumam acontecer na escola. Promover o diálogo entre todos os alunos é uma das estratégias de sucesso para que estes problemas diminuam e se resolvam. Podem promover momentos em que a comunicação entre todos seja facilitada, como, por exemplo:

- Haver na escola um local onde se possa transmitir opiniões: sugestões para o melhor funcionamento da escola, críticas positivas e negativas e também casos de agressões. No caso das agressões, os depoimentos podem ser anónimos, ou seja, não é necessário que quem o escreveu se identifique

- Haver um momento por semana, gerido pelo professor, em que se fala na turma sobre o que está a acontecer na escola: sejam questões de bullying ou outras

- Detetar os casos mais complicados, tanto de agressores como de possíveis vítimas e mostrar que está disponível para conversar num momento a sós- Promover debates na escola sobre o tema que leve à participação dos alunos

Fica atento...

...Se perceberes que algum colega está muitas vezes sozinho, triste, calado, falta à escola, começa a ter notas mais baixas. Pode estar a ser vítima de bullying. Fala com ele.

Um caso grave

Deves ter ouvido falar do menino de 10 anos, de Lisboa, que pôs fim à sua vida. E deves ter ouvido também dizer que ele era gozado na escola porque tinha as orelhas grandes. É importante que percebas que ninguém acaba com a sua vida porque é vítima de bullying. Ele estava doente, com uma depressão, que é uma doença grave que nos faz sentir muito tristes e com a sensação de que estamos sozinhos e de que ninguém nos pode ajudar. A sua situação familiar era complicada. E na escola as coisas também não corriam bem. Todos estes fatores fizeram com que sentisse que não havia solução para os seus problemas. Quando as pessoas estão doentes, sentem isto e mais facilmente podem fazer algo de muito grave se forem gozadas e maltratadas.

Mas tirar a própria vida não pode ser uma opção. Há sempre uma solução para tudo. É necessário pedir ajuda, sempre. Não se deve tentar resolver estas situações sozinho.

Contactos SOS

Se precisares de ajuda podes contactar:

Instituto de Apoio à Criança - Linha SOS Criança

Linha Gratuita: 116 111 (de segunda a sexta das 9 às 19h)

Email: soscrianca@iacrianca.pt