Visão Júnior

Siga-nos nas redes

Perfil

Livros em debate no Bairro de São Miguel

MIÚDOS A VOTOS

Em Alvalade a campanha já começou e há muitos títulos por onde escolher

Marcos Borga

Os alunos da Escola Básica Bairro de São Miguel, em Lisboa, debateram hoje os livros que têm estado em campanha

Fernando Carvalho (texto) Marcos Borga (fotografia)

De um lado, torcem pelo «Diário de um Banana 1», de David Kinney, do outro puxam pelos «Três Contos de Andersen». A campanha eleitoral na Escola Básica Bairro de São Miguel, uma das escolas do Agrupamento Rainha Dona Leonor, em Lisboa, começou há semanas e está ao rubro! «Há uma turma que tem cartazes novos todas as semanas, eles querem mesmo ganhar esta eleição», comentam os alunos entre si, enquanto entram para o ginásio da escola, local onde se vai realizar o grande debate.

A professora bibliotecária Maria José Godinho orientou as apresentações e o debate que decorreu no ginásio da escola

A professora bibliotecária Maria José Godinho orientou as apresentações e o debate que decorreu no ginásio da escola

Marcos Borga

As turmas do 3.º e 4.º anos agarram a sugestão da professora bibliotecária e puseram-se a ler! Dentro de cada sala de aula foi selecionado um livro dos nomeados e as escolhas foram bastante diversas.

As alunas do 4.º D, Sofia Figueiredo e Mariana Madeira defenderam «O Tubarão na Banheira» com muita garra!

As alunas do 4.º D, Sofia Figueiredo e Mariana Madeira defenderam «O Tubarão na Banheira» com muita garra!

Marcos Borga

Uma das quatro turmas do 3.º ano decidiu apoiar «O Principezinho», que é «um livro grande e muito bonito» comenta Pilar Barbosa, do 3.º C, aquando da apresentação do livro à escola. Mas nem todos usaram o argumento da beleza das palavras para que a história seja a mais apoiada nestas eleições. As turmas do 3.º A e do 4.º D apoiam «O Tubarão na Banheira» de David Machado e Paulo Galindro, um livro que não só nos ensina uma montanha de palavras novas como também tem uma história muito divertida, segundo os seus apoiantes.

«O Diário de um Banana 1 está cheio de piadas muito engraçadas e por isso é que deve ganhar a eleição», argumenta André Alves

«O Diário de um Banana 1 está cheio de piadas muito engraçadas e por isso é que deve ganhar a eleição», argumenta André Alves

Marcos Borga

Mas para divertir a malta, «porque está cheio de piadas de rir à gargalhada» temos o «Diário de um Banana 1», como afirma André Alves, do 3.º B. A apoiar esta escolha está a turma do 4.º A que também escolheu o diário de Jeff Kinney. «É um livro muito engraçado, com ilustrações giras, que retrata na perfeição a vida de um rapaz de 11 anos… de um rapaz um pouco tonto», diz Madalena Rei.

A escolha mais peculiar de todas recai sobre o livro do 3.º D. «A campanha deles é estranha; os cartazes dizem para não votarmos no livro que escolheram», conta Guilherme Matoso, do 4.º C. Em causa está o conto «Não abras este livro», de Andy Lee, que tem um título bastante desafiador e provocador. A turma que faz campanha por ele usou a mesma estratégia. Ao provocarem os eleitores pretendem que todos fiquem com muita vontade de ler esta história para que depois votem nela.

Sem se esconderem por detrás de ilustrações, de anedotas ou truques está a turma do 4.º C que decidiu apoiar o livro de Hans Christian Andersen. Apresentam os «Três Contos de Andersen» como uma obra que resistiu ao tempo, pois já existe há cerca de 200 anos e, até hoje, ainda não saiu de moda ao contrário «dos diários, dos ratos detetives e das aventuras pré-históricas», afirma Vasco Paciência, do 4.º C, durante o debate.

Os alunos do 4.º C, Mariana Santos e Vasco Paciência têm a palavra para explicar que o verdadeiro vencedor tem de ser o livro «Três Contos de Andersen»

Os alunos do 4.º C, Mariana Santos e Vasco Paciência têm a palavra para explicar que o verdadeiro vencedor tem de ser o livro «Três Contos de Andersen»

Marcos Borga

Chegaram todos ao debate munidos da melhor argumentação e prontos para saírem do ginásio vitoriosos, ou pelo menos com mais alguns votos a seu favor. «Há uma turma que não está a participar na campanha da iniciativa da VISÃO Júnior, vamos tentar ficar com os votos deles», comenta Tomás Reis, do grupo eleitoral do 4.º C.

No público estavam alunos do 4.º ano cheios de vontade de saber mais sobre os livros e as campanhas eleitorais

No público estavam alunos do 4.º ano cheios de vontade de saber mais sobre os livros e as campanhas eleitorais

Marcos Borga

Depois de todos os livros se apresentarem ao público, a professora bibliotecária Maria José Godinho deu a palavra ao público, ao estilo debate televisivo com intervenções do público. As perguntas foram ferozes e à medida que os minutos foram passando, as respostas queriam-se mais elaboradas porque havia decisões a tomar. Está em causa uma eleição e estes alunos sabem que este ano podem votar. Podem não estar a escolher um presidente mas vão exercer o seu poder enquanto eleitores dos livros mais fixes!

«Conseguimos mais um voto, uma aluna do 3.º ano vai votar no nosso livro», alegrava-se um par de amigas à saída do ginásio.