Visão Júnior

Siga-nos nas redes

Perfil

O Júnior, a Joana e o Gão no aeroporto

As aventuras de Júnior&Joana

  • 333

Trabalho dos alunos do 3.ºano da EB1 de Campo Maior, com a professora Lurdes Ribeiro

Certo dia os irmãos Júnior e Joana decidiram viajar até Paris para participarem num campeonato de palavras cruzadas.

Muito entusiasmados, chegaram ao aeroporto acompanhados pelo seu inseparável amigo Gão, um cão com muita pinta!

Dirigiram-se ao balcão para fazer o checkin do Gão depois tratariam da papelada deles.

Dentro da caixa de viagem o Gão estava muito irrequieto.

-Gão, tens bichos carpinteiros? Está sossegado. 

O cão não escutou os amigos, ele tinha à sua frente uma linda cadela de pelo acastanhado, focinho pontiagudo e ao pescoço uma linda medalha. Gão estava cada vez mais curioso.

Ficou muito aborrecido quando o levaram para o compartimento do avião indicado aos animais, mas, qual não foi o seu espanto, viu ao seu lado esquerdo a tal cadela. Começou  a bater com as patas contra a portinha da caixa até que a partiu, depois, com o focinho, conseguiu abrir a caixa onde estava a cadela.

Os dois cães saíram imediatamente dali e correram na direção de uma porta que se abria e fechava constantemente e saltaram.  Ficaram um pouco confusos e decidiram encaminhar-se para a porta do aeroporto à procura da Joana e do Júnior. 

Bem tentaram encontrar os amigos do Gão! Viram pessoas e mais pessoas e nada de encontrar quem queriam. Nisto ouviram uma voz num altifalante:

- Os passageiros com destino a Paris é favor dirigirem-se à porta de embarque nº 2.  

Neste os dois cães foram intercetados por um segurança do aeroporto que os meteu numa rede e levou-os para um gabinete com o fim de serem identificados, o que foi fácil graças aos chipes que ambos possuíam.

Através de rápidas comunicações Júnior e Joana, assim como a dona da cadela foram avisados que tinham que recolher os seus amigos quatro patas no gabinete dos animais extraviados.  Arranjou-se uma grande confusão! Joana e Júnior tiveram que adiar a partida. Os cães não se queriam separar. A dona da cadela desmaiou com o susto!

O Gão começou a arrepender-se do que tinha feito mas já era demasiado tarde. Tinha-se apaixonado e pelos vistos era correspondido. A cadela de focinho pontiaguado tremia que nem varas verdes e aconchegava-se junto do Gão. 

- Perdemos a viagem e o campeonato! Não posso acreditar - choramingava  a Joana. Tudo por causa de um ataque de amor canino!

D. Josefina, a dona da cadela prometeu que todos os fins de semana levaria a sua Filoca a passear junto do Gão.

O que  o amor é capaz de fazer!

Trabalho dos alunos do 3.ºano da EB1 de Campo Maior, com a professora Lurdes Ribeiro