Visão Júnior

Siga-nos nas redes

Perfil

Aventura num Laboratório Científico

As aventuras de Júnior&Joana

  • 333

Trabalho dos alunos do 9ºD do Agrupamento de Escolas de Cinfães, com a professora Isabel Prado

-Júnior! - chamou Joana.

-O que se passa? - pergunta Júnior.

-Sabes que dia é hoje?

Joana estava muito entusiasmada o que não era normal, pois ela acordava sempre mal-humorada, por não gostar muito de ir à escola.

-Não, não sei que dia é hoje! - resmunga Júnior.

-Hoje vamos ao laboratório conhecer os cientistas! - disse Joana entusiasmada. Júnior ficou confuso, pois não havia nenhuma visita de estudo na escola.

-Vá, vamos, veste-te! O Gão está à espera! - exclamou ela.

-O cão também vai? E não vamos às aulas?

-Aulas? Hoje? Claro que não, hoje é sábado!... E vê se te despachas.

Júnior vestiu-se e horas depois estavam no laboratório. Gão estava entusiasmado, tal como Joana, ambos olhavam para todo o lado, e só não mexiam porque não podiam! Até que Gão abanou a cauda e derrubou uns frascos com líquidos coloridos. Zás, catrapum. Estava tudo no chão, que tragédia, o Gão estava todo sujo, os frascos tinham-lhe caído em cima.

-Auf, não foi por mal, não foi por mal. - disse Gão.

-Joana, eu percebi o que o Gão disse! - exclamou Júnior.

-Alguém me pode dar uma toalha? - perguntou Gão.

Os irmãos não se mexiam, estavam demasiado confusos com tudo aquilo, agora entendiam o Gão.  Que coisa estranha!

-São poções de fala! Fazem-nos entender os animais. - diz um cientista.

Seguiram o cientista e entraram numa sala estranha, com livros rabiscados, frascos com líquidos coloridos e estranhas máquinas que faziam ferver outros líquidos.

 - O que estamos aqui a fazer? - perguntam.

O cientista chamou-os, entraram noutra sala, com pouca luz, uma mesa no centro e em cima um frasco com um líquido igual ao que o Gão falar.

- Esta é a invenção que vai permitir revelar toda a natureza.

De repente as luzes apagam-se e alguém passa por eles.

As luzes de segurança ligam-se e o cientista está deitado no chão, esfregando a cabeça. Alguém lhe bateu, mas o pior foi quando notaram... o frasco com o líquido tinha desaparecido. Já não havia outro igual...

Quem teria roubado a poção?

 

Trabalho dos alunos do 9ºD do Agrupamento de Escolas de Cinfães, com a professora Isabel Prado