Visão Júnior

Siga-nos nas redes

Perfil

Sete livros, dez miúdos em campanha e muita vontade de mudar o mundo

Miúdos a votos

Marcos Borga

Na Escola Básica José Relvas, em Alpiarça, muitos dos livros foram escolhidos por tocarem com a sua mensagem os leitores. Por isso, o entusiasmo contagiou a plateia num comício para todo o 3º ciclo

Margarida Queirós (texto) e Marcos Borga (fotos)

“Ler é saber o passado, perceber a atualidade e aprender para o futuro”, diz a moderadora do debate, Carolina Lopes, e também líder de campanha pelo livro «A Culpa é das Estrelas». Carolina escolheu este livro porque acha importante trazer para a ordem do dia algumas situações tristes e pouco faladas. Os dois protagonistas, apesar de estarem doentes, são dois adolescentes normais. “Independentemente da doença que tinham, viveram o seu amor à maneira deles, uma maneira muito especial”.

Carolina Lopes moderou o debate mas também apresentou o seu livro preferido

Carolina Lopes moderou o debate mas também apresentou o seu livro preferido

Marcos Borga

Também especial é o livro apresentado por Filomena Santos, «Por 13 Razões», que deu origem à série mais vista de sempre da Netflix, uma empresa de conteúdos televisivos americana. Esta obra conta a história de Hannah Bake, uma rapariga que se suicida depois de ser intimidada e humilhada pelos colegas.

Maísa Castro, que faz campanha pelo livro «O Rapaz do Pijama às Riscas» confessa que é no livro «Por 13 Razões» que vai votar. E emociona-se quando fala da sua história: “O livro retrata os dias de hoje e ajuda a perceber que não nos devemos tratar com indiferença.”

Ainda assim, leva avante a campanha que está a fazer com o colega Miguel Santos. “Começámos por falar da atualidade porque a história d’ «O Rapaz do Pijama às Riscas» também já foi actual. Acho que é importante conhecer o passado para termos uma sensibilidade diferente ao presente”, explica Miguel, quando questionado sobre a menção à guerra na Síria que fizeram no início da apresentação.

A dupla que dinamiza a campanha pelo livro «O Rapaz do Pijama às Riscas»

A dupla que dinamiza a campanha pelo livro «O Rapaz do Pijama às Riscas»

Marcos Borga

Seguiu-se «O Recruta», defendido – com muita garra, força, e em três línguas diferentes – por Leandro Fernandes. “Usei as três línguas para chamar à atenção e cativar as pessoas para votarem no meu livro”. Gosta da obra de Robert Muchamore porque é cheia de ação, aventura e liberdade.

Leandro Fernandes no apelo ao voto pelo livro «O Recruta»

Leandro Fernandes no apelo ao voto pelo livro «O Recruta»

Marcos Borga

Lara Ramalho, Gonçalo Tagarrinha e Filipa Carneiro estão pel’ «O Principezinho», e todos concordam que “o essencial é invisível aos olhos”. “Esta é uma frase muito conhecida que nos lembra que as coisas mais importantes não são as que vemos, mas sim as que sentimos”, clarifica Gonçalo.

O grupo que luta pela vitória d' «O Principezinho»

O grupo que luta pela vitória d' «O Principezinho»

Marcos Borga

Foi pela magia e pela fantasia que Tatiana Neves foi “agarrada” pelo «Harry Potter e o Cálice de Fogo»: “Cativa porque retrata um mundo à parte.” Para a apresentação levou um cachecol igual ao usado pelas personagens, apesar do calor que se fazia sentir na sala.

Tatiana Neves defendeu «Harry Potter e o Cálice de Fogo»

Tatiana Neves defendeu «Harry Potter e o Cálice de Fogo»

Marcos Borga

Finalmente, um livro de uma autora portuguesa: «A Lua de Joana», de Maria Teresa Maia Gonzalez, foi o escolhido por Joana Rodrigues. “Apesar de ser de 1994, fala de um tema que não devemos esquecer. É um alerta sobre os vícios, sobre o quão facilmente nos podemos perder e sobre o quão importante é tentar ajudar os outros."

“Apresentámos vários livros. Se tiver havido pelo menos um colega que tenha ficado com vontade de ler, já está ganho", remata a Joana, esperançosa com os efeitos da votação do dia 23 de abril e da iniciativa «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?».

Marcos Borga