Visão Júnior

Siga-nos nas redes

Perfil

É um ovni? É um zangão gigante? Não, é um drone!

Visão Júnior

Começaram na guerra, mas já são usados no dia a dia. Podem ter o tamanho de um avião ou caber na palma da mão. Podem ter asas ou hélices. Fotografam e filmam de dia ou de noite. E voam sozinhos. É o mundo maravilhoso dos Veículos Aéreos Não Tripulados

Já viste aviões ou helicópteros a voar sem piloto? Sabes como se chamam? Toda a gente os conhece por drones, que em inglês quer dizer zangões. O voo destas aeronaves é controlado à distância por um piloto, de uma maneira parecida com os vulgares aviões telecomandados, ou de forma autónoma, através de computadores a bordo do avião. Por isso, têm o nome oficial de Veículos Aéreos Não Tripulados (VANT) TECNOLOGIA ou de Veículos Aéreos Remotamente Pilotados (VARP).

E com a ajuda de programas de computador cada vez mais sofisticados e do sistema de navegação GPS, os drones conseguem voar sozinhos a distâncias maiores e durante mais tempo.

Por isso, são uma mistura de aeronaves com robôs.

Mas há drones para todos os gostos, de todas as formas e feitios e com muitas aplicações. Há drones que ajudam a monitorizar a vida selvagem, que tiram fotografias aéreas ou filmam do ar para as televisões.

Há drones que distribuem encomendas, que transportam medicamentos e vacinas a sítios inacessíveis, que ajudam os meteorologistas a encontrar furacões e a estudá-los e até a NASA quer levar um drone a Marte para ajudar o robô Rover a orientar-se. Mas há mais. Em Portugal, por exemplo, há drones que ajudam a polícia a observar o trânsito e os bombeiros a patrulhar florestas para prevenir incêndios. E cada vez há mais adultos e adolescentes com o hobby dos drones e que constroem os seus próprios aparelhos.

Os drones usados nesta panóplia de aplicações são geralmente bastante pequenos e funcionam como pequenos helicópteros. Ou melhor, como multirrotores. Podem ser quadcópteros, hexacópteros, octocópteros, dependendo do número de hélices ou rotores que tiverem.

Usam sistemas e sensores eletrónicos de controlo e podem ser pilotados com telemóveis ou tablets.

Quase todos têm câmaras fotográficas ou vídeo.

É por isso que a popularização destes drones é bastante controversa.

É que ainda não há leis que regulem o uso destes aparelhos (em Portugal está ser preparada a primeira).

E como os drones podem filmar e fotografar praticamente em todo o lado, as pessoas receiam perder a sua privacidade. Ainda por cima, como esta tecnologia é cada vez mais barata, vai haver cada vez mais pessoas e empresas a usarem drones no dia a dia. Tipo, saíres à rua e teres drones a voarem por cima da tua cabeça.

Consegues imaginar este mundo futurista?

Os drones foram inventados para fins militares. E ainda hoje continuam a ser desenvolvidos de forma ultrassecreta nos laboratórios de investigação dos serviços militares, principalmente dos EUA. Os drones militares, como o avião Predator, têm sido muito usados para vigia- rem e atacarem lugares recônditos, por exemplo no Afeganistão e no Paquistão. Por causa dos ataques destes drones, têm morrido muitas pessoas, entre elas muitas crianças, e por isso o uso de drones militares é muito criticado.

Texto: Alexandra Rosa