Segundo a NPR, que agrega as centenas de rádios dos Estados Unidos, a descoberta foi feita graças ao laboratório SAM, incorporado no robô Curiosity. "Estamos a receber dados do SAM e os dados parecem realmente interessantes". A indisfarçada excitação do investigador John Grotzinger, responsável pela missão do Curiosity, foi testemunhada por um repórter da NPR, que assistiu à chegada dos dados à NASA.

O SAM tem capacidade para analisar qualquer amostra de solo, ou até mesmo de ar, de Marte, identificando a sua composição. 

A informação terá começado a chegar no passado dia 20, mas os cientistas da agência espacial norte-americana preferiram esperar para confirmar a descoberta. Para o próximo dia 3, a NASA marcou um anúncio sobre a missão em Marte, mas, no seu site, classifica como "incorrectos, neste ponto, os rumores de grandes descobertas". 

O Curiosity chegou a Marte no dia 5 de Agosto, ponto de partida para uma missão de dois anos que se propõe descobrir se alguma vez existiu vida no planeta vermelho.