Há pacotes de férias e pacotes de férias. Estes, de que lhe falamos aqui, nada têm a ver com aquelas estadias de dez dias em hotéis de cinco estrelas, regime de tudo incluído, com bares no meio de piscinas ou restaurantes na areia. Mas também podem ter cenários paradisíacos e, acima de tudo, podem revelar-se experiências muito enriquecedoras.

A rede de agências de viagens Top Atlântico apresentou, em maio, o seu panfleto de viagens de voluntariado e aventura. Estes pacotes estão em vigor este verão, pela primeira vez, e destinam-se a todos os que  querem fazer umas férias diferentes, sendo solidários e integrando-se nos destinos para onde viajam.

África, Ásia e América Latina são alguns dos destinos disponibilizados para viagens que podem durar entre uma e doze semanas e que podem incluir atividades como cuidar de crias de leões ou tigres, aprender música e danças tradicionais, trabalhar numa comunidade rural, visitar projetos de solidariedade ou dar contributos para a preservação ambiental de reservas ecológicas. Há pacotes que custam 1.999 euros e outros que podem chegar aos 2.649.

Noutro regime, a AMI tem, há vários anos, um projeto próprio de turismo solidário: a Aventura Solidária. As inscrições estão abertas para a próxima, que terá como destino a Guiné Bissau, com partida a 23 de novembro e regresso a 1 de dezembro. As inscrições já estão abertas através do endereço: aventura.solidaria@ami.org.pt .

Os custos aplicados às Aventuras Solidárias variam consoante os destinos e as durações. No caso da Guiné-Bissau, aplica-se um valor de 505 euros de donativo e 1.695 euros de despesas logísticas.