"O teu coração parece/ Uma pedra sem destino/ Dizem que só amolece/ Ao canto de um gambozino". O poema, de João Monge, está escrito na parede e dá o mote a David Duarte e Irene Jardim, o casal que do imaginário fantástico dos gambozinos fez nascer uma taberna. Fica num cantinho de Amarante e... não é que saboreando os seus pratos se sai de lá de coração amolecido?

Na Gambozinos Taberna, os petiscos e pratos servidos nascem da imaginação e do paladar apurado de David. "A pasteleira", como o próprio diz, é a mulher, Irene. Dessa forma, ao sentarem-se às mesas de madeira negra, os mais gulosos podem contar com petiscos de pezinhos de porco, moelas, cogumelos com chouriço, favinhas com salpicão. Ou podem deixar-se surpreender pedindo um pratinho de gambozinos...

Para algo de mais substancial, atire-se a um bacalhau com migas, a umas espetadas de lulas com gambas, a um polvo à lagareiro ou a umas costelinhas grelhadas. Remate com uma tarte de maçã com gelado de baunilha ou um crepe. David e Irene não são novatos nestas coisas da restauração. Apenas se mudaram do Porto para Amarante, procurando ambientes mais calmos. E quando um pequeno produtor do Douro lhes deu a provar o vinho Gambozinos, ficou decidido o nome da taberna.

Com vista para o rio Tâmega, a Gambozinos Taberna deu nova vida ao edifício que outrora abrigou o Colégio de S. Gonçalo, frequentado precisamente pelo irmão de David.

Gambozinos Taberna
Av. Alexandre Herculano, 31, Amarante.
T. 255 446 316.
Ter-Dom 12h-23h30
€15-€17 (jantar)