Luxemburgo, 22 jun (Lusa) -- A Comissão Europeia saudou a vontade manifestada hoje no Luxemburgo por um grupo de países, entre os quais Portugal, de avançarem entre si com a implementação de um imposto sobre as transações financeiras, face à falta de um consenso entre os 27.

Falando na conferência de imprensa no final de uma reunião dos ministros das Finanças da União Europeia (Ecofin), que foi dominada por um debate sobre a proposta da Comissão de um imposto sobre o setor financeiro, o comissário responsável pela Fiscalidade, Algirdas Semeta, comentou que, "infelizmente", não se verifica o consenso necessário para a medida se tornar realidade à escala da União, mas considerou muito positivo que "um grupo forte" de países estejam dispostos a avançar.

O comissário garantiu que, do lado da Comissão, há o desejo de que tal avance "tão rapidamente quanto possível", pelo que o executivo comunitário agirá de forma célere para dar andamento ao processo, que terá, no entanto, de cumprir ainda diversas etapas, começando pela "formalização" da vontade dos países que querem aplicar a taxa.