Antes do concerto especulava-se que Dr. Dre e Snoop Dog poderiam trazer Tupac do mundo dos mortos para uma atuação conjunta durante o festival norte-americano Coachella. Ontem aconteceu mesmo.

O público que esteve no último dia do primeiro fim de semana do Coachella Music Festival, um dos maiores festivais de música no mundo, pôde assistir ao que se julgava impossível desde a morte de Tupac em setembro de 1996: Tupac voltou aos palcos.

A "ressurreição", apesar de ser em modo holograma, fez as delícias dos fãs do hip-hop já que Tupac é, para muitos, considerado o melhor rapper da história e continua a ser uma referência para aqueles que o viram ontem à noite - mesmo que alguns deles ainda não eram nascidos quando o rapper foi assassinado.

Tupac cantou as músicas "2 of Americaz Most Wanted" e"Hail Mary", esta segunda com Snoop Dog em palco, e a sua presença foi mesmo o momento alto da noite, apesar de instantes antes o público ter assistido a outro marco deste género musical: a reunião em cima do palco entre Snoop Dogg, Dr. Dre, Eminem, 50 Cent, Wiz Khalifa, Warren G e Kurupt (para os amantes da música pesada que não conhecem nenhum destes artistas, esta ato tem o mesmo significado para os fãs que a partilha de palco pelos Big Four ).

Atuação holográfica não é novidade

À semelhança do que aconteceu com a sua morte - não se sabe qual o autor dos disparos que acabaram por matar Tupac -, também não se conhece a tecnologia envolvida na projeção da imagem do músico, apesar de não ser algo inédito

Em 2005, nos MTV Music Awards que decorreu em Lisboa, a banda Gorillaz atuou ao vivo através de hologramas que projetaram as imagens animadas do universo com que a banda sempre se mostrou ao público.

A exibição de ontem mostrou os avanços alcançados nesta tecnologia, que permite um maior detalhe de imagem, durante os cerca de 5 minutos em que Tupac Shakur (também conhecido por 2Pac) exibiu o seu swag quase 16 anos depois da sua morte.

O Coachella prossegue no próximo fim de semana na Califórnia com mais música, mas, presume-se, com menos Tupac.