Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Uma capa, dupla esperança

Revistas

  • 333

Nesta edição, repetimos a "graça" de publicar a VISÃO com duas capas. Um grafismo diferente para duplicar a esperança de sairmos do túnel em 2013. VEJA AS DUAS CAPAS DISPONÍVEIS e o VÍDEO

Chegue atrasado Por duas razões: Em primeiro lugar para evitar ter de fazer sala com aquela colega aborrecida com quem nunca trocou uma palavra e que é sempre a primeira a chegar; E em segundo, porque, assim, quando chegar, todos terão uma desculpa para interromper as conversas de circunstância: "Olha quem chegou!"
1 / 2

Chegue atrasado Por duas razões: Em primeiro lugar para evitar ter de fazer sala com aquela colega aborrecida com quem nunca trocou uma palavra e que é sempre a primeira a chegar; E em segundo, porque, assim, quando chegar, todos terão uma desculpa para interromper as conversas de circunstância: "Olha quem chegou!"

Nunca se ofereça para planear... e muito menos para limpar Os "homens a sério", garante a GQ, deixam os detalhes sujos para os outros, porque estão ocupados a ter ideias fantásticas
2 / 2

Nunca se ofereça para planear... e muito menos para limpar Os "homens a sério", garante a GQ, deixam os detalhes sujos para os outros, porque estão ocupados a ter ideias fantásticas

Os votos, nesta última edição de 2012, são os de que o próximo ano seja o fim de um longo período de crise e sacrifício. Já sabemos que não vai ser fácil, que existem numerosos desafios para ultrapassar, mas podemos sempre esperar, desejar - e fazer o que estiver pessoalmente ao nosso alcance - para que, no final do próximo ano, possamos voltar a desejar uns aos outros, pura e simplesmente, "feliz ano novo".

A capa desta semana traduz essa esperança, a de sairmos do túnel da crise em 2013. Um grafismo que se inspirou numa ideia original da revista alemã Der Spiegel, e que distribuímos por duas capas, uma com um figurante feminino e outra com um masculino. Poderíamos dizer que a ideia consistiu em duplicar as hipóteses de sucesso do voto de conseguirmos sobreviver a 2013, mas estaríamos, obviamente a exagerar. Apesar de acharmos que é preciso dupla esperança para enfrentar o próximo ano, o que pretendemos foi, pura e simplesmente, repetir uma pequena graça que fizemos já no último número de 2011, e que os nossos leitores apreciaram.

Nesta edição, além de várias ideias e informações que ajudarão as pessoas a lidarem com as principais dificuldades que terão de enfrentar em 2013, e de muitos outros interessantes assuntos, fazemos o exercício difícil de tentar identificar as figuras que vão dar que falar no próximo ano - uma forma, personalizada, de abordar os grandes assuntos nacionais e internacionais que nos esperam, e que é possível antecipar, sem para isso termos de recorrer à arte da adivinhação.

Em nome de toda a equipa que produz para si a VISÃO, boas leituras e boas festas!