O Público noticiou na sexta-feira que o ministro Miguel Relvas pediu, nesse dia, desculpa ao jornal, depois de a direção ter protestado contra "uma pressão" do governante sobre uma jornalista que acompanha o caso das Secretas.

O pedido de desculpas, noticiado pelo jornal, ocorreu no mesmo dia em que o gabinete de Miguel Relvas refutou a denúncia do Conselho de Redação do Público sobre ameaças do titular da pasta da comunicação social ao jornal e a uma jornalista, por causa de uma notícia relacionada com o caso das Secretas, e que acabou por não ser publicada.

Na edição online do jornal, a direção editorial assumiu, ao final da noite de sexta-feira, que uma jornalista que tem acompanhado o caso das Secretas "foi alvo de uma pressão por parte do ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas", "pressão" essa que "a direção do Público considerou inaceitável e que motivou um protesto da direção do jornal".

Ainda na sexta-feira, um porta-voz de Miguel Relvas desmentiu ao Expresso que o ministro tenha feito "qualquer tipo de ameaça", nomeadamente as três que lhe são atribuídas pelo CR. Para a fonte oficial, "tudo é uma questão interna do jornal. Houve telefonemas do ministro para a diretora do 'Público' e a editora de política, que resolveram não publicar uma notícia".