Lisboa, 10 dez (Lusa) - O declínio do estado social "não é inevitável" e tem uma origem "económica e não demográfica", disse hoje o economista João Ferreira do Amaral.

"O estado social é perfeitamente sustentável desde que haja crescimento económico. A questão básica não é demográfica - é económica", disse Ferreira do Amaral durante um debate sobre "Sustentabilidade do estado social" na Faculdade de Direito de Lisboa.

Apesar do envelhecimento da população (que implica um gasto crescente com pensões e cuidados de saúde), argumenta Ferreira do Amaral, o problema do financiamento do estado social está no "crescimento muito insatisfatório" que se tem registado na última década e meia.