Na sequência da mais recente queda, seguida de morte, de um menino de quatro anos, que se lançou de uma varanda do sétimo andar, em Corroios, vestido de super-herói, a Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI) recuperou uma campanha sobre esta temática.

"Os superpoderes acabam na varanda" é a frase chave do cartaz que a APSI voltou a fazer circular através das redes sociais. "Em dez anos, mais de 100 crianças morreram e 40 mil foram hospitalizadas devido a quedas. E uma grande parte destas foram quedas de edifícios (varandas ou janelas) e quedas de escadas. Por isso, nunca se esqueça que as guardas das varandas e/ou terraços devem ter pelo menos 1,10 metros de altura, que não podem ter elementos que permitam a escalada pelas crianças (como travessas ou muretes) e não devem possuir aberturas superiores a 9cm", lembra a APSI. E acrescenta: "Acima de tudo, nunca se esqueça que, tal como os super-heróis, as crianças ignoram o perigo".

Um conselho a ter em conta.