"Se a sua filha aparecer na televisão novamente, cortamos a sua cabeça". A ameaça foi dirigida à mãe da jovem afegã, num telefonema anónimo. Um tio já cortou relações com a família e o pai teve de se despedir de uma empresa estatal de eletricidade para se tornar guarda-costas, a tempo inteiro, da filha.

É o preço da fama de Sosan Firooz, que cresceu em campos de refugiados no Irão e no Paquistão. Mas a jovem, de 23 anos, garante que não se deixa intimidar pelas ameaças. "Quanto tempo temos de ficar em silêncio", lançou, numa entrevista à CBS. "É preciso que alguém se levante e que outros sigam."

Num país onde a maioria das mulheres se cobre da cabeça aos pés, Firooz surge no seu vídeo com os cabelos soltos, maquilhada e usando acessórios, como um colar com uma caveira.