O árbitro português estava de prevenção juntamente com o inglês Howard Webb, quarto árbitro no jogo de quinta-feira entre a Itália e a Alemanha (2-1), e o italiano Nicola Rizzoli, fora das opções após o apuramento dos transalpinos.

Habitualmente, a UEFA retira de prova os árbitros dos países que se apuram para as meias-finais do torneio, o que não sucedeu com Pedro Proença e Nicola Rizzoli, naturais de dois países que discutiram a presença na final.

Pedro Proença é o primeiro árbitro a dirigir, no mesmo ano, os jogos dos títulos europeus de clubes e seleções.

Em 13 edições anteriores do Europeu, nenhuma final tinha sido dirigida por um árbitro que, no mesmo ano, tinha apitado o jogo decisivo da mais importante competição europeia de clubes.

Pedro Proença, que recebeu as insígnias da FIFA em 2003, foi o árbitro da última final da Liga dos Campeões, entre o Chelsea e o Bayern de Munique, que os ingleses venceram no desempate por grandes penalidades.