Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

  • O regresso dos skins

    Encontram-se numa skin house em Odivelas e recrutam em concertos com músicas de ódio contra os judeus e as “mulheres traidoras”. De forma mais ou menos silenciosa, o movimento antes liderado por Mário Machado voltou a organizar-se: tem um novo cabecilha e novos militantes, sujeita iniciantes a atos de violência e atacou pelo menos vinte pessoas – duas delas quase morreram