Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Filipa Namora

Filipa Namora

ARQUITETURA E INTERIORES

Quartos de crianças: dicas e ideias úteis

Bolsa de Especialistas

Filipa Namora

O mais importante para mim, no quarto de uma criança, é este conseguir acompanhar o maior período de tempo do crescimento da mesma. É uma realidade que elas crescem muito depressa e rapidamente este pode ficar desatualizado.

Este é um tema curioso.... Quem me conhece, sabe o quanto gosto de desafios. Como refiro, várias vezes, é isso que me move! Pouco ou nada me assusta, mas quartos de miúdos é um assunto que no mínimo me intimida. Primeiro, considero estes pequenotes um tipo de “cliente” bastante transparente e com uma reação imediata. É tudo simples. Ou adoram ou simplesmente não gostam. Até chega a ter piada, mas assumo que é um momento que me deixa de coração nas mãos! Imagino que quem estiver a ler isto, deve estar a rir -se, mas acreditem que eu estou a fazer exatamente o mesmo enquanto escrevo e não podia estar a ser mais honesta.

No decorrer de um processo criativo de uma casa perco imenso tempo a desenhar pormenores de todas as divisões, mas nada disso se compara com o corresponder às expectativas de uma criança. É importante para mim eles adorarem o projeto hoje e daqui a três meses continuarem a vibrar. Acho soberbo, como já aconteceu, os pais comentarem comigo que a filha já disse na escola toda como é que o quarto dela iria ser.

Bem... mas vamos passar isso à frente, pois na verdade os meus dramas/receios aqui não importam para nada.

O mais importante para mim, no quarto de uma criança, é este conseguir acompanhar o maior período de tempo da mesma. É uma realidade que elas crescem muito depressa e rapidamente este pode ficar desatualizado. Não me sinto confortável pensar e desenhar um tipo de quarto que responda a um período de cinco anos. Neste sentido, desenvolvo sempre um layout pouco infantil, deixando o segredo na base. Assim, à medida que forem crescendo é sempre fácil a sua adaptação, substituindo elementos, como roupas de cama, abajours e acessórios decorativos. Intemporalidade talvez seja a palavra de ordem no âmbito deste tema.

Assim, no que diz respeito às tonalidades dos quartos, opto sempre por cores neutras, de formas a oferecer um ambiente acolhedor e confortável. Relembro que este é um local não só de descanso, mas onde vão passar muito tempo.

Outra questão muito importante é a sua organização. No fundo, trata-se de uma divisão onde elas brincam, estudam, dormem e ainda se vestem. Ligado a isto, temos o tipo de iluminação a que este deve obedecer. É importante considerarmos iluminação de teto, no entanto, a presença de candeeiros de pé ou de mesa oferecem uma luz mais baixa, logo mais confortável.

Um dos meus must-have para qualquer quarto de criança são tapetões grandes e penso que os motivos são óbvios. Aqui gosto de arriscar! Cores e padrões são válidos e, por norma, os miúdos acham sempre imensa piada, sobretudo quando são personalizados com um motivo que eles amam.

Muitos clientes me questionam sobre o uso de papeis de parede. Bem... na verdade o leque de ofertas é infindável, mas sugiro a escolha de um padrão leve e não muito marcante.

Mais sugestões poderiam ser dadas, mas que tal este tema ter continuação num outro artigo? Pense sempre que criar é um processo sem fim!

Filipa Namora

Filipa Namora

ARQUITETURA E INTERIORES

Natural do Porto, Filipa Namora (1986) é mestre em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto. Divide a sua atividade profissional entre a arquitetura e, sobretudo, design de interiores. Neste âmbito, tem desenvolvido diversos projetos em várias cidades do país, incluindo espaços de hotelaria (de um hotel centenário em São Pedro do Sul a alojamentos locais de gama média-alta no Porto), bares, restaurantes e várias moradias de luxo. Em cada projeto aposta na autenticidade do espaço e tenta criar uma atmosfera de charme, requinte e conforto. Odeias clichês e não dispensa um bom copo de vinho.