Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Filipa Namora

Filipa Namora

ARQUITETURA E INTERIORES

A influência das cores nos ambientes

É indubitável que é preciso adequar as cores a conceitos arquitetónicos e estéticos. Toda a cor traz energia a um ambiente, então, tudo se resume à quantidade de energia que pretendemos trazer e atribuir a cada espaço

Mixpão Croissanteria

Mixpão Croissanteria

Alguma vez parou para pensar sobre o efeito das cores que o rodeiam? Acha que é igual termos um quarto num tom azul berrante, em vez de ser numa tonalidade pastel?

Esta é uma questão que me é colocada por todos os clientes durante o desenvolvimento de um projeto e, realmente, carece de algum cuidado e atenção. É um facto que as cores influenciam e despertam diferentes sensações, aliás, se pensarmos um bocadinho, recordamo-nos que normalmente os reality shows são compostos por cores fortes e vibrantes, de forma a deixarem os concorrentes mais ansiosos e agitados.

A ciência, na verdade, ajuda arquitetos e designers a entenderem como é que as pessoas reagem às diferentes formas e cores, melhorando a resposta de cada projeto.

Foi comprovado que ambientes com cores quentes dão a sensação de o tempo passar mais rápido, já com tons frios a sensação é de que o tempo demora mais a passar. Tons pastel transmitem sensação de calma, serenidade e tranquilidade, ideal para casas. Brancos, por sua vez, multiplicam a luz e ampliam ambientes. Visualmente, o branco gera uma percepção mais aguçada do espaço, destacando e realçando a vivacidade das outras cores, sendo, como todos sabem, o símbolo da pureza e da limpeza. O cinza é a única cor que não produz efeitos psicológicos diretos. Sendo assim, quando usado sozinho pode gerar certa monotonia, mas quando em conjunto com cores mais fortes tende a amenizar os seus efeitos. É, portanto, uma boa cor para dosear impactos e atingir o equilíbrio desejado. Escritórios em tonalidades cinzas proporcionam um clima de trabalho mais tranquilo e aumenta a rentabilidade dos funcionários.

O azul, por sua vez, causa sensação de profundidade e é considerada uma cor sedativa e curativa; se for um tom azul claro, reflete a sensação de alegria. É uma cor refrescante e de movimento, sem dúvida!

McDonald's

McDonald's

Vermelhos aceleram o batimento cardíaco, deixam-nos mais ansiosos e nervosos. Muitos restaurantes de comida fast-food utilizam a cor vermelha, seja em mobiliário ou na arquitetura, pois estimula o cérebro e aumentam a fome.

Dada Kitchen

Dada Kitchen

O verde, em todos os seus tons, é cor da família e representa o elemento madeira, fazendo florescer projetos, realizar sonhos, conquistar objetivos e iniciar etapas. Renova energias e marca um novo ciclo.

As cores são sempre emissoras de sensações. Espaços destinados a massagens devem ser sempre compostos por tonalidades terra e pastel, de forma a conseguirmos estar tranquilos e relaxados.

Um bom exemplo que ultimamente tenho visto a mudar são as tonalidades usadas em cozinhas.

Cada vez mais a cor branca tem sido substituída por tonalidades terra e, sobretudo, por elementos naturais. Este novo conceito, na minha opinião, está ligado ao facto da cozinha começar a ser trabalhada como um elemento de reunião e de estar. Neste sentido, ela deve ser pensada como espaço integrante da casa.

Num âmbito mais geral, as utilizações de cores fortes podem interferir na concentração e causar fadiga. Por esta razão, normalmente recomendo a utilização de cores saturadas em elementos pontuais, tais como almofadas, tapetes e abajours.

Ambientes com um pé direito alto podem ser amenizados se pintar o teto da mesma cor que as paredes, ou então com um tom mais escuro. No caso de ter um pé direito mais baixo, devem então pintar paredes e tetos com uma tonalidade clara.

Espero conseguir ajudar todos aqueles que estão hesitantes sobre a tonalidade a escolher. Lembrem-se, tons terra são sempre seguros e, acima de tudo, intemporais e elegantes. Não se remeta à segurança do branco e só em casos muito pontuais opte pela cor preto, pois é uma cor forte e com uma carga energética muito pesada.

Boas leituras e boa semana.

ASSINE AQUI E GANHE UM SACO. Ao assinar está a apoiar o jornalismo independente e de qualidade – essencial para a defesa dos valores democráticos em Portugal

Filipa Namora

Filipa Namora

ARQUITETURA E INTERIORES

Natural do Porto, Filipa Namora (1986) é mestre em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto. Divide a sua atividade profissional entre a arquitetura e, sobretudo, design de interiores. Neste âmbito, tem desenvolvido diversos projetos em várias cidades do país, incluindo espaços de hotelaria (de um hotel centenário em São Pedro do Sul a alojamentos locais de gama média-alta no Porto), bares, restaurantes e várias moradias de luxo. Em cada projeto aposta na autenticidade do espaço e tenta criar uma atmosfera de charme, requinte e conforto. Odeias clichês e não dispensa um bom copo de vinho.