Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Eduardo Bastos

Eduardo Bastos

Medicina Dentária

6 mitos sobre branqueamento dentário em que deve deixar de acreditar

Bolsa de Especialistas

Eduardo Bastos

Com tantos produtos e tratamentos branqueadores agora disponíveis, pode ser difícil descobrir o que é eficaz e, mais importante, o que é seguro

O branqueamento dentário é um tema muito pertinente hoje em dia. E a boa notícia é que ter um sorriso branco e brilhante não é apenas algo que só as celebridades possam sonhar ter.

Mas com tantos produtos e tratamentos branqueadores agora disponíveis, pode ser difícil descobrir o que é eficaz e, mais importante, o que é seguro.

Para ajudar descrevo, hoje, 6 mitos mais comuns sobre este tema e que definitivamente não deveríamos descredibilizar.

1 - O branqueamento dentário irá danificar o seu esmalte dentário

Em poucas palavras, não. Muitos estudos comprovam que o branqueamento não danifica o esmalte dentário. No entanto, para que isso aconteça, o branqueamento deve ser “prescrito” por um médico dentista e só deve ser realizado por ele ou por um/ uma higienista dentária.

Existem alguns espaços de serviços de beleza que oferecem esse serviço de branqueamento dentário e, não só é ilegal, como pode colocar os seus dentes em risco.

2 - Friccionar alimentos ácidos nos dentes pode ajudar a remover manchas

Limões, limas e até cascas de banana. Existem pessoas que procuram este tipo de solução para ter um sorriso mais brilhante. Funciona? Não. Isso não só não remove manchas, mas também danifica seriamente os seus dentes. A acidez das frutas e a acidez existente em outros alimentos que comemos e bebemos fazem com que o esmalte dos dentes se desgaste e nesse caso o efeito será o contrário - vão ficando mais amarelados. Devemos evitar escovar os dentes pelo menos 20 minutos depois de consumir alimentos ácidos. Essa acidez suaviza o esmalte, e escovar cedo demais acelera o desgaste dentário antes que o esmalte tenha tempo de se regular.

3 - Uma vez realizado um branqueamento dentário, os dentes ficarão brancos para sempre

Infelizmente não. Após o primeiro tratamento, os efeitos mantêm-se por muito tempo. A duração depende muito do estilo de vida de cada um no que respeita ao consumo de vinho tinto, chá ou café e fumar. Estes fatores vão fazer com que comecem a surgir novamente manchas ou pigmento mais amarelado. Mas nem tudo é uma má notícia. É pouco provável que os dentes voltem à cor original. É recomendável repetir o tratamento de branqueamento poucos meses depois, ou sempre que, de 6 em 6 meses, fizer uma higiene oral. Nessa consulta são removidas todas as manchas adquiridas e, em casa, com o kit que por norma está incluído no branqueamento feito em consultório, repete o tratamento.

4 - Carvão ativo é o segredo para ter os dentes mais brancos

Embora seja muito tentador experimentar técnicas novas de branqueamento dentário que surgem nas redes sociais, o melhor é ficar do lado da ciência. Infelizmente, não há ainda estudos científicos suficientes para aprovar ou não o carvão vegetal. De qualquer forma só posso recomendar manter os tratamentos que são oficialmente comprovados e manter um estilo de higiene oral saudável e regular em casa. Existem muito poucos produtos que ajudam efetivamente a melhorar o brilho do seu sorriso através da eliminação das manchas provocadas pela comida, bebida ou tabaco.

5 - O branqueamento fará com que os seus dentes pareçam artificiais

É possível fazer um branqueamento dentário com um profissional de medicina dentária com um resultado assustadoramente falso? Não. O branqueamento é um tratamento progressivo. Existe um nível limite de branqueamento que pode ser alcançado, e isso depende do tom de cor que já tinha quando iniciou o tratamento e depende também da sua anatomia dentária a nível do esmalte.

6 - O branqueamento dentário provoca muita sensibilidade

No geral, o branqueamento não deve provocar dor. Hoje em dia existe uma máquina em consultório dentário muito boa nesse sentido que não provoca qualquer sensibilidade e tem resultados imediatos excelentes. De qualquer forma, cada caso é um caso e se durante o tratamento sentir umas picadas ou sensação de estar a arder deve parar o tratamento se estiver a fazer em casa e, no gabinete, avisar o profissional de saúde sobre o desconforto. Devo reforçar que hoje em dia isso é muito raro acontecer.

Se o seu desejo é realizar um branqueamento dentário, procure um médico dentista da sua confiança . Deve ter consciência de que não deve nunca fazer o tratamento na existência de alguma patologia relativa à sua saúde oral como cáries, dentes partidos, infecções. Reforço ainda que todos os tratamentos de restaurações ou de cerâmica como as coroas dentárias ou facetas dentárias não mudam de cor. Apenas o seu dente natural reage ao branqueamento dentário!

Eduardo Bastos

Eduardo Bastos

Medicina Dentária

Licenciado em Medicina Dentária, tem várias Pós-graduações em áreas especificas como Cirurgia Avançada de Implantes e Tecidos Moles, Implantologia e Estética Dentária. Sempre muito dedicado à vertente da implantologia e cirurgia oral, participou em várias palestras nesse âmbito. A sua experiência profissional incide na Reabilitação Oral integral, com forte componente estética. Participou em alguns programas de televisão dedicados à saúde oral e estética dentária e é muitas vezes convidado para rubricas de informação de medicina dentária. Sempre projectou ter o seu próprio espaço, com um ambiente que correspondesse às suas paixões e uma prática clínica sempre avançada/ atualizada, proporcionando um cuidado de excelência como sempre o fez. Foi em 2016 que deu estrutura ao seu sonho com a Clinica Mint (http://mint.pt ) em Lisboa.