Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Sandra Duarte Tavares

Sandra Duarte Tavares

LINGUÍSTICA PORTUGUESA

Palavras mágicas na comunicação

As palavras são a matéria-prima da comunicação e, por isso, saber usá-las na medida certa, no momento certo é uma arte

Neste artigo, partilharei consigo algumas palavras que têm um poder de sedução tremendo, porque inspiram, influenciam e criam empatia com o nosso interlocutor, permitindo-lhe tomar decisões em consonância com o que o objetivo comunicativo que pretendemos alcançar. São palavras que podem favorecer de forma surpreendente a nossa comunicação e trazer um impacto incrível às nossas vidas.

1. O nome próprio

Em diferentes situações de comunicação, quer se use um tratamento mais formal ou menos formal, é unânime que todos nós gostamos de ser tratados pelo nosso nome. Com ou sem título associado, é o nosso nome que nós mais gostamos de ouvir, concorda?

Experimente, num restaurante, chamar o empregado pelo nome, pedindo-lhe a ementa ou perguntando-lhe qual o prato do dia que recomenda. “Sr. Manuel, posso ver o menu, por favor?” é bem mais empático do que um simples “Olhe, o menu, se faz favor”, não lhe parece?

O nome próprio é, sem dúvida, uma palavra mágica que soa a música suave ao ouvido do nosso interlocutor.

2. Como está?

Esta expressão de saudação exala também uma certa magia nas relações interpessoais. É um autêntico desbloqueador de manhãs rabugentas, especialmente em estabelecimentos comerciais e serviços públicos.

Experimente adicionar esta interrogativa mágica ao seu habitual “bom dia”. Dou-lhe quase a certeza de que o seu pedido será mais facilmente atendido, porque é praticamente irresistível recusar alguma coisa a alguém que parece preocupar-se com o nosso bem-estar! “Estou às suas ordens”, poderá seguramente ler na mente do seu interlocutor!

3. Seria possível?

Irresistível é também esta expressão de cortesia linguística, que lhe garante uma concordância quase de 100% com o interlocutor antes de ele saber o que lhe está a ser pedido.

É quase impossível dizer não a qualquer pedido que comece com expressões delicadas como não se importa, ser-lhe-ia possível, poderia… E experimente adicionar a estas palavras um sorriso e um olhar carismático! O resultado será (praticamente) garantido. (É que… a comunicação verbal e a não verbal caminham sempre de mãos dadas!)

4. Imagine que…

Tomamos decisões com o coração. E porquê? Simplesmente porque o prazer dos benefícios que vislumbramos se sobrepõe à lógica e à razão.

A expressão imagine que… faz com que o interlocutor tenha uma imagem real das vantagens da decisão que pretendemos que ele tome. Tudo o que nos transporta a boas memórias da infância faz-nos sentir emoções fortes, por isso, esta expressão mágica permite criar uma imagem esplêndida na mente do nosso interlocutor e fazê-lo sonhar por breves instantes: “Imagine que criava a sua própria marca…”

5. Palavras afetuosas

Tomamos decisões com o coração, repito. A razão perde muitos pontos em favor da emoção quando nos oferecem palavras afetuosas como satisfação, prazer, expectativa, disponibilidade, proveito, gratidão, benefícios, recompensa, prémio, oferta...

São palavras mágicas como estas que aquecem a alma, que atingem diretamente o coração e nos cegam a mente. Por isso, sempre que desejarmos seduzir ou criar empatia com alguém, esta é uma ferramenta poderosa na eficácia da comunicação.

6. Não se preocupe

Esta expressão mágica tem o poder de transformar situações complicadas, diálogos difíceis, conversas densas em rios de água tranquila. Trazem a calma, a segurança e o conforto necessários ao nosso interlocutor numa situação menos favorável.

Desde crianças que nos habituámos a ouvir esta expressão reconfortante em momentos dolorosos. É exatamente essa sensação de conforto que o nosso interlocutor sente quando ouve: "Não se preocupe, tudo se vai resolver!"

7. Obrigado!

E terminamos em beleza, com uma das palavras mais valiosas na comunicação: obrigado(a)!

Sermos genuínos e autênticos é crucial para projetarmos credibilidade e confiança, por isso, devemos usar esta palavra com conta, peso e medida e na ocasião certa.

Acredite: sempre que usa a palavra OBRIGADO, oferece gratidão e reconhecimento ao seu interlocutor; e se acrescentar o advérbio MUITO, é como se o envolvesse num interminável abraço.

Sandra Duarte Tavares

Sandra Duarte Tavares

LINGUÍSTICA PORTUGUESA

Sandra Duarte Tavares é mestre em Linguística Portuguesa pela Faculdade de Letras de Lisboa e professora no Instituto Superior de Comunicação Empresarial (ISCEM). É colaboradora da RTP em programas televisivos e radiofónicos sobre Língua Portuguesa e autora de 10 livros técnicos sobre Língua Portuguesa e Comunicação. Conta ainda com 10 anos de experiência como consultora linguística e formadora de Comunicação para Executivos, nas áreas de Effective Communication, Business Writing e Public Speaking.