Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Dicas para quem vai de férias com crianças

Bolsa de Especialistas

Hugo Rodrigues

  • 333

Vai de férias com os seus filhos? Aqui ficam alguns conselhos...

Ir de férias com crianças é muitas vezes um desafio, pelo que importa ter em atenção alguns pormenores. Por esse motivo, aqui ficam uns conselhos para poder tirar maior proveito desta fantástica altura do ano:

Sol

A exposição ao Sol é essencial para a síntese de vitamina D e pode e deve ser aproveitada. No entanto, para se poder usufruir de todas as suas potencialidades, é importante cumprir algumas regras, das quais as mais importantes são as seguintes:

1 - Até aos 12 meses de idade os bebés não devem ter grande exposição solar directa, uma vez que a sua pele é muito sensível e mais reactiva. É por esse facto que não devem fazer praia até essa altura, pois mesmo que estejam à sombra há muita radiação que reflecte na água e na areia e que não se consegue controlar bem.

2 - Nenhuma criança (ou adulto) deve ir à praia entre as 11:00 e as 16:00. Este é um horário proibido e deve ser evitado por toda a gente, porque é quando a intensidade das radiações ultravioleta é mais elevada.

3 - Sempre que for com o seu filho à praia deixe-o estar com a t-shirt vestida, principalmente se for pequeno. Apesar disso, nem todas as camisolas evitam a passagem dos ultravioletas, pelo que também é importante optar pela roupa mais adequada.

4 - Os protectores solares não são todos iguais, portanto é preciso escolher os mais correctos. O primeiro aspecto a reforçar é que até aos dois anos todos os bebés devem usar um protector mineral ou então um protector com filtros orgânicos de alto peso molecular (este nome é um bocado complicado, mas basicamente quer apenas dizer que são partículas grandes que não são absorvidas pela pele, o que faz com que não provoquem nenhum tipo de reação). A partir dessa idade podem usar um protector pediátrico “normal”, mas deve ter um factor de protecção 50+, porque índices mais baixos devem s evitados.

Acidentes

É frequente as crianças colocarem-se em risco e, nas férias, a probabilidade de surgir um acidente é bastante maior. Por esse motivo vale a pena repensar algumas situações, para tentar evitá-las:

1 - Tenha muito cuidado com o risco de afogamento, porque basta um palmo de água para uma criança se afogar. É absolutamente proibido deixar crianças em banheiras, tanques, mar ou piscinas sem supervisão, mesmo que seja por breves instantes.

2 - As crianças pequenas (até cerca dos dois anos de idade) colocam tudo o que apanham na boca, pelo que não devem contactar com nenhum objecto com um tamanho menor do que uma moeda de dois euros.

3 - Os passeios em locais onde circulam automóveis têm que ser constantemente supervisionados, pois basta uma pequena distracção para um criança se expôr ao risco de um atropelamento.

4 - Sempre que estiver num local movimentado, dê a mão ao seu filho. É muito fácil uma criança perder-se o que, para além de s extremamente perigoso, causa uma aflição enorme a toda a gente.

Rotinas

As crianças gostam e precisam de rotinas, mas nas férias é útil (e lógico) ser-se um pouco mais tolerante.

Assim, aqui ficam alguns conselhos:

1 - A alimentação é importante e deve-se tentar sempre optar por escolhas o mais saudáveis possível. No entanto, é importante perceber que, por vezes, isso nem sempre é possível de fazer nas férias. Desde que a regra seja comer bem, se houver um dia ou outro em que se faz um “pecadinho” alimentar, acho que se pode tolerar.

2 - Com o tempo quente quase todas as pessoas têm menos apetite e com as crianças passa-se exactamente o mesmo. Na maior parte das vezes têm mais sede e, como bebem mais água, acabam por comer menos, o que é perfeitamente normal. Deve-se tentar escolher alimentos mais “leves” é ser mais condescendente com as quantidades, porque senão as refeições correm um risco sério de se transformar em momentos de tortura.

3 - Os horários têm obrigatoriamente que ser mais flexíveis nas férias. Passar os dias com zangas porque alguém se atrasa, porque as crianças estão a demorar muito tempo a comer ou porque não se pode brincar porque é hora da refeição não me parece que seja adequado e deve ser evitado. Pontualmente pode acontecer, mas o registo diário não deve ser esse...

Viagens

Não existem grandes condicionantes para viajar com crianças, embora seja uma pergunta muito frequente nas consultas. Sobe esse assunto, aqui ficam algumas reflexões:

1 - Não existe idade mínima para andar de avião, pelo que qualquer bebé/criança pode fazê-lo. O único aspecto a ter em atenção é tentar que os bebés pequenos mamem na mama da mãe ou num biberão quando o avião descola e aterra. Se for uma criança maior, pode dar-lhe uma pastilha elástica para aliviar a pressão nos ouvidos, que faz o mesmo efeito.

2 - Tenha sempre em atenção os cintos de segurança das cadeiras de transporte no automóvel, porque nas viagens grandes as crianças muitas vezes deitam-se e deixam de estar seguras.

3 - Se for para um país onde não se deve consumir água da torneira, tenha muita atenção ao gelo das bebidas, porque não deve ser consumido. Para além disso, tenha cuidado com as frutas lavandas com água da torneira, porque também não são seguras.

Estes são apenas alguns conselhos, pois haveria muitos mais a reforçar. De qualquer forma, a principal recomendação é mesmo uma: vá em segurança e divirta-se! Usufrua das suas férias em família e guarde boas recordações, porque quando estas acabarem... para o ano há mais!

Hugo Rodrigues

Hugo Rodrigues

PEDIATRIA

Hugo Rodrigues é pediatra no hospital de Viana do Castelo e docente na Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Porto e na Escola de Ciências da Saúde da Universidade do Minho. Pai (muito) orgulhoso de 2 filhos, é também autor do blogue "Pediatria para Todos" e do livro "Pediatra para todos"