Lisboa, 12 out (Lusa) - A Associação Portuguesa de Realizadores (APR) defendeu um reforço do financiamento público no cinema no próximo ano e uma clarificação da tutela sobre que política deve existir no setor.

Questionada pela Lusa sobre as prioridades que deviam estar inscritas no Orçamento do Estado para 2012 na área do cinema, a presidente da APR, Margarida Gil, defendeu um reforço de financiamento público "de forma a garantir a sobrevivência do setor".

"É urgente uma definição deste governo sobre a sua política para o setor. O silêncio do secretário de Estado da Cultura é inquietante", sublinhou a realizadora.