Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

De Nova Iorque para São Francisco: mais um capítulo

Nós lá fora

Nuno Guerreiro

SÃO FRANCISCO, EUA - Depois das logísticas da praxe, fechei a porta do apartamento de Nova Iorque, despedi-me e peguei nas malas (por acaso, nenhuma de cartão) e mudei-me para São Francisco

1 / 4

2 / 4

3 / 4

4 / 4

Neste verão, decidi começar um novo capítulo que, como muitos outros na minha vida, foram iniciados pelo trabalho. Depois das logísticas da praxe, fechei a porta do apartamento de Nova Iorque, despedi-me e peguei nas malas (por acaso, nenhuma de cartão) e mudei-me para São Francisco.

Tive a sorte de visitar esta cidade várias vezes no passado, mas sei, por experiência, que visitar e morar numa cidade são coisas diferentes.

As primeiras aparências de São Francisco, com as colinas, o "eléctrico" na rua, a ponte "Golden Gate" e a baía fazem-me lembrar da minha cidade natal, Lisboa. E que bem que sabe. Porém, estar a oito horas de diferença de Lisboa tem o seu peso, bem como o saber que se está ainda mais longe do que antes.

Com as primeiras impressões reparo que a velocidade cá é diferente daquela a que estava acostumado em Nova Iorque. Gosto de brincar e dizer que os novaiorquinos sempre andam na rua mais depressa do que todos os outros. O clima por cá é mais ameno e fiquei surpreendido por ter de andar de cachecol no começo da manhã e de calções e t-shirt à tarde, e isto num mês de agosto. A conexão e interação com a natureza é clara por cá também. A cidade está rodeada de mar, baía, montanhas, praia, parques, o que, ao juntar a um clima ameno, encaixa-se bem no modo de vida de São Francisco.

As mudanças sempre me atraíram: estar rodeado de muitas novidades, restaurantes novos, amigos de amigos novos e até um novo desafio profissional faz com tudo tenho um brilho especial.

Mudança para mim é como um cheiro a carro novo, que foi acabado de comprar, pronto a ser estreado. Há sempre o outro lado da moeda - com os brilhos e novidades vem também as incertezas e inseguranças: será que vou achar um lugar decente para morar? Será que vou ter vida além do trabalho? E novos amigos, será que vou achar? Todas estas e outras questões surgem ao mesmo tempo.

Este bipolarismo de emoções faz-me sentir vivo, contente e com medo! O que será que me aguarda neste próximo capítulo?

VISTO DE FORA

Dias sem ir a Portugal: 96 dias.

Por aqui, fala-se muito nas notícias sobre as manifestações ecológicas, e o impacto político.

Um número surpreendente, São Francisco é a 13a cidade com mais habitantes dos EUA, com quase 900 mil habitantes

ASSINE POR UM ANO A VISÃO, VISÃO JÚNIOR, JL, EXAME OU EXAME INFORMÁTICA E OFERECEMOS-LHE 6 MESES GRÁTIS, NA VERSÃO IMPRESSA E/OU DIGITAL. Saiba mais aqui.

Nuno Guerreiro

Nuno Guerreiro

SÃO FRANCISCO, ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA. Português, nascido e criado, e hoje autodenominado nómada. Após vivências por Düsseldorf, Barcelona, Dublin, Londres, São Paulo e Nova Iorque, chama casa a São Francisco. Profissionalmente empreendedor, sempre ligado às tecnologias e ao Marketing, desde empresas pequenas até a grandes como o Salesforce e o Google. À tecnologia junta outras paixões como música, cozinhados e um gosto insaciável por viagens. Viveu na Margem Sul até aos tempos de faculdade, onde se licenciou em Engenharia Informática pela Universidade Nova de Lisboa. Mais tarde, completou também um duplo MBA, pela London Business School e Columbia University. Completou também um duplo MBA, pela London Business School e Columbia University.