Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Broadway mais um centro de NYC!

Nós lá fora

Nuno Guerreiro

NOVA IORQUE, EUA - Obrigado, Nova Iorque e a todos os artistas que cá estão. Que benção, ter acesso a esta diversidade cultural única!

Acho quase impossível dissociar Broadway dos teatros musicais de NYC, bem como o inverso. Quando me mudei para Nova Iorque em 2007 tive algumas experiências com teatros musicais e com atores famosos, mas só quando me tornei Nova Iorquino testemunhei o grande polo cultural global, a Broadway! Hoje, confesso que não só sou fã, mas também um consumidor ávido do que se passa por lá.

Herdou o seu nome pela área que ocupa à volta da Avenida Broadway, que apesar de cruzar quase toda a ilha de Manhattan, em que a parte mais conhecida é Times Square onde estão muitos teatros. Aqui os Nova Iorquinos e turistas co-habitam para assistir a dezenas de espetáculos diários. Os shows da Broadway!

A espera do musical War Paint

A espera do musical War Paint

Entre Nova Iorquinos, quando surge o assunto “shows da Broadway”, uma imediata polarização acontece e ou se ama ou se rejeita. Encontrei até agora poucos por cá, que ignoram ou desconhecem o que se passa na Broadway. Dos que amam, existem aqueles que sabem o que por lá se passa, quais são as últimas peças, quais os participantes, os produtores, etc. e até existem aqueles que apesar de amarem muito podem estar mais de um ano sem assistir a espetáculos.

Glenn Close a voltar a repetir o clássico Sunset Boulevard

Glenn Close a voltar a repetir o clássico Sunset Boulevard

Antigamente pensava que apenas o teatro musical e de variedades faziam parte do leque de opções, mas rapidamente aprendi que teatro dramático e cabaret pertencem também a este portfólio cultural. Por exemplo, nas últimas semanas o Bruce Springsteen está a fazer um espetáculo-concerto na Broadway, a atriz Uma Thurman encontra-se a fazer uma peça de teatro drama-político e a famosa Bette Middler acabou de fazer um remake do musical Hello Dolly.

Assim, vejo a Broadway, pelo marco que é para os actores, produtores e para todos os envolvidos neste grande projeto. É interessante ver artistas de todo o mundo, em especial os actores, talvez porque têm maior destaque na promoção do espetáculo, quererem estar presentes ou marcar a sua presença na Broadway como uma etapa importante e vital nas suas carreiras.

Produção com pequenos génios -School of Rock

Produção com pequenos génios -School of Rock

Além da broadway, existe também um lado super interessante, o chamado de off-broadway, onde se tem acesso a muitos espetáculos considerados independentes ou de produção menor do nível da Broadway. Lembro-me de ver um destes espetáculos chamado “Dear Evan Hansen” antes de chegar à Broadway, que depois de chegar acabou por ganhar imensos prémios “Tony”, também conhecidos como os Óscares da Broadway, com a mesma pompa e circunstância que os de Los Angeles.

Off broadway com o Dear Evan Hansen

Off broadway com o Dear Evan Hansen

Pessoalmente, considero-me muito sortudo por ter assistido a espetáculos com grandes nomes, desde Liza Minelli, Catherine Zeta-Jones, Glenn Close, Hugh Jackman entre tantos outros, e com bilhetes reservados e já marcados para este ano! Do tempo e dinheiro investido em todas estas experiências, transporta-me a alguns anos atrás quando crescia na margem sul e o quão difícil achava poder ter acesso a este nível cultural, e agora estou a meras estações de metro de distância. O investimento financeiro , ou seja o preço do bilhete por cada espetáculo, esse também daria para fazer uma profunda reflexão e quiçá uma nova crónica a explorar..., o preço da cultura aqui em Nova Iorque, começa desde o grátis e pode ascender a mais de 500 Euros, há para todos os gostos e carteiras!

Obrigado, Nova Iorque e a todos os artistas que cá estão, que benção ter acesso a esta diversidade cultural única!

VISTO DE FORA

Dias sem ir a Portugal: 20 dias (logo depois do Bacalhau do natal!)

Por aqui, nas notícias fala-se muito sobre o fecho do governo e a espera das resoluções presidenciais e do congresso..

Sabia que por cá é o Fantasma da Ópera teve mais performances, com mais de 12000 desde que abriu em 1988.

Um número surpreendente de quase 1,2 biliões de euros de receita de bilhetes na Broadway na temporada de 2016-17, gerado por mais de 13 milhões de espetadores.

Nuno Guerreiro

Nuno Guerreiro

NOVA IORQUE, ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA Português que virou nómada e, recentemente, nova-iorquino. Após vivências por Düsseldorf, Barcelona, Dublin, Londres e São Paulo, chama casa a Nova Iorque. Depois de uma década no Google, tornou-se empreendedor na área de tecnologia, ao qual junta outras paixões como música, cozinhados e um gosto insaciável por viagens. Viveu na Margem Sul até aos tempos de faculdade, onde se licenciou em Engenharia Informática pela Universidade Nova. Completou também um duplo MBA, pela London Business School e Columbia University.