Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Como por cá se recebe o novo ano

Nós lá fora

João Pita Costa

LJUBLJANA, ESLOVÉNIA - E todos os anos, logo após o festivo Dezembro, chega Janeiro trazendo consigo o silêncio de Inverno branco

Não há Dezembro que não comece com algum fogo de artifício em várias partes da cidade só porque sim. A venda é livre, embora controlada pelo estado (a Foto 1 mostra a venda deste material perto de um conhecido centro comercial em Ljubljana). Aliás, este é o caso da Áustria e da Alemanha também. Fala-se até em autênticas batalhas e não faltam os sinais para pedir cautela no uso deste equipamento explosivo. Afinal de contas, menos perigoso que as velhas kalasnikov ainda usadas em celebrações pela Bósnia e Sérvia.

Fogo de artifício à venda um pouco por todas as superfícies comerciais, desde o início de Dezembro, dando oportunidade para festejos durante todo o mês até 7 de Janeiro, a data do Natal Ortodoxo.
1 / 5

Fogo de artifício à venda um pouco por todas as superfícies comerciais, desde o início de Dezembro, dando oportunidade para festejos durante todo o mês até 7 de Janeiro, a data do Natal Ortodoxo.

D.R.

Casa de montanha (usualmente chamada koča) em Ojstrica, disponível para alugar pela Booking.com, perto do mundialmente conhecido ponto de turismo Esloveno, o lago Bled.
2 / 5

Casa de montanha (usualmente chamada koča) em Ojstrica, disponível para alugar pela Booking.com, perto do mundialmente conhecido ponto de turismo Esloveno, o lago Bled.

D.R.

Farol com quartos para alugar na ilha Croata de Palagruža, parte de um arquipélago remoto no mar Adriático.
3 / 5

Farol com quartos para alugar na ilha Croata de Palagruža, parte de um arquipélago remoto no mar Adriático.

D.R.

Fogo de artifício a partir do castelo de Ljubljana, a capital da eslovénia, com celebrações pelas ruas da cidade, concertos distribuídos por diversos palcos, vinho quente e muita animação para receber o novo ano.
4 / 5

Fogo de artifício a partir do castelo de Ljubljana, a capital da eslovénia, com celebrações pelas ruas da cidade, concertos distribuídos por diversos palcos, vinho quente e muita animação para receber o novo ano.

D.R.

Floresta no Inverno, branca mesmo quando não há neve, e o silêncio indescritível que só o Inverno nestes países ao Norte pode oferecer.
5 / 5

Floresta no Inverno, branca mesmo quando não há neve, e o silêncio indescritível que só o Inverno nestes países ao Norte pode oferecer.

D.R.

Mas as celebrações por cá são como as que se fazem um pouco por toda a Europa. Juntamo-nos com os amigos em festas privadas, saltamos de festa em festa, à meia noite vai-se ao centro como muitos muitos outros para ver o fogo de artifício e abrir a garrafa de champagne, e depois a festa continua (a Foto 4 mostra o fogo de artifício a partir do castelo de Ljubljana). E sim, lançam-se os foguetes que ainda não arderam durante o mês e, que eu saiba, ninguém se aleija. Não é hábito comer as 12 passas por cá.

O que talvez seja mais interessante é as escolhas de alojamento para quem decide sair da cidade para celebrar o novo ano. Uma das escolhas comuns é alugar uma casa rústica de montanha - usualmente chamada koča - isolada na montanha. A ideia é juntar alguns amigos, bebidas, e fazer a passagem do ano no meio da floresta entre ursos e raposas e, se possível, alguma neve. Já experimentei e aconselho. Por cá não há animais realmente perigosos à exceção dos ursos que vivem em ambientes controlados.

Outra escolha que é muito curiosa e já ando para fazer há algum tempo é alugar um pequeno farol na Croácia (como na Foto 4). Sim, podem-se alugar quartos em faróis até bastante remotos (por exemplo através da página www.lighthouses-croatia.com). Há mais de 10 anos, à minha primeira vez por cá ouvi falar de amigo de amigo que o fez, que lhes iam trazer comida à ilha e que se passavam um tempo encantador. Não será para todos, mas fica a sugestão.

E todos os anos, logo após o festivo Dezembro, chega Janeiro trazendo consigo o silêncio de Inverno branco (representado na Foto 5). Um mês difícil de passar porque é longo, frio e isolado. Todos preferem ficar por casa para curar ressacas natalícias. Talvez por isso seja o mês em que todos os estrangeiros que por cá vivem poderam voltar. Não se contam anos mas sim invernos, e este Janeiro faço 10 eu próprio. Em breve chega Fevereiro com as férias de neve de que vos falarei no próximo mês.

João Pita Costa

João Pita Costa

LJUBLJANA, ESLOVÉNIA - Doutorado em Matemática e editor da revista bilingue luso-eslovena Sardinha (www.sardinha.tv). Vive na capital eslovena desde 2007 e há vários anos que organiza eventos para promoção da língua e cultura Portuguesa. Chegou a Ljubljana há 10 anos para estudar e explorar os surpreendentes pontos de encontro entre as duas culturas. Trabalha em tecnologia, mas já esteve à frente da galeria de arte Tukadmunga, de um popular duo de música eletrónica, e ao mesmo tempo é marido e pai de um luso-esloveno que representa uma nova identidade na nossa Diáspora.