Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

E já é dia do trabalhador!

Nós lá fora

Nuno Guerreiro

  • 333

NOVA IORQUE, EUA - Apenas uma mão cheia de outros países, escolheram um dia diferente para o dia do trabalhador. Nos EUA, o dia do trabalhador é sempre a primeira segunda-feira de Setembro e é, atualmente, um feriado federal, comum a todos os estados, desde 1894

“Passeios e Banhos de Sol no Parque no “West Side Highway Park””

“Passeios e Banhos de Sol no Parque no “West Side Highway Park””

Sempre que me recordo do dia do trabalhador, lembro-me do 1º de Maio, especialmente, quando a data não coincidia com o fim de semana, resultando em mais um merecido dia de descanso. Em Nova Iorque a minha experiência tinha que ser diferente, apesar de ser também feriado, este dia marca uma transição – o término do verão e o início do outono.

Os Estados Unidos e apenas uma mão cheia de outros países, escolheram um dia diferente para o dia do trabalhador. Cá, o dia do trabalhador é sempre a primeira segunda-feira de Setembro e é, atualmente, um feriado federal, comum a todos os estados, desde 1894. É de salientar que em Maio de 1882, Nova Iorque assistiu a uma manifestação de apoio ao trabalhador.

Voltando a 2016, e ao dia 5 de Setembro, dia do Trabalhador, muitas coisas acontecem em Nova Iorque, como sempre.

O esperado seria uma parada (ou desfile) para o dia do Trabalhador, mas essa fica para o próximo Sábado, hoje celebra-se em Brooklyn o conhecido Carnaval das Caraíbas, também denominado pelo Carnaval do Dia do Trabalhador, que na minha opinião, é bastante alegre porque reflete bastantes tons do nosso Carnaval e do Brasileiro. O objetivo é festejar as raízes caribenhas que por cá existem, sendo vivido com muita cor, dança e música, que alegram locais e visitantes em mais um exemplo da diversidade que por cá existe.

Nem para todos é Carnaval, apesar de muitos viajarem no fim de semana prolongado, para os que cá ficam, como eu este ano, há muito mais do que um Carnaval, afinal estamos na cidade das opções.

Há quem opte por algo mais tranquilo, como por exemplo aproveitar o “último” dia (não oficial) do Verão, disfrutando dos raios de sol em fato de banho no parque (como se no próximo fim de semana já não houvesse sol).

Para o nova iorquino mais “tradicional” depois do dia do trabalhador não há mais experiências de veraneio (mesmo que o tempo colabore) e é até considerado incorreto usar vestuário branco (este também tradicional do verão). Muitos aproveitam este fim de semana prolongado, para usar o máximo de peças brancas, especialmente pela inúmeras festas de (vestuário) branco que por cá decorrem...

A oferta cultural continua extensa, desde a ópera ao ar livre no Met Opera (grátis!), festivais de música eletrónica como o Electric Zoo entre outras atividades lúdicas.

Apesar de raramente ver estabelecimentos encerrados em Nova Iorque, faça chuva, sol ou esteja a passar um furacão ou não, este ano reparei que alguns optaram por encerrar no dia do trabalhador. Algumas lojas, restaurantes, bares e até a um clube de strip tease fechado para o feriado. Confesso que no passado nunca tinha reparado em comércio fechado e fico na dúvida se será tendência ou mera coincidência...para o próximo ano estarei atento a esta verificação!

Outro facto, que acho importante salientar é o da importância deste fim de semana para o nova iorquino, como se fosse um ritual de passagem e que todos os nova iorquinos sabem e encarnam. Lembro-me de um comentário de um amigo local, que estava chocado com o facto de uma conhecida dele (de outro Estado claro!) ter a coragem de organizar um casamento no Estado do Indiana, sem ter em consideração que era o fim de semana do dia do trabalhador, o famoso “day labor weekend”. Ou outro comentário de amigos com filhos, que referiam, chocados, que noutros estados a escola já tinha começado, porém em Nova Iorque, só depois deste fim de semana. Ambos comentários são precedidos de silêncio e de uma expressão facial tipicamente nova iorquina “Como é obvio!”.

Como outros novaiIorquinos, já não penso em Verão, penso em casacos e nas folhas castanhas do Outuno, apesar da meteorologia indicar uma média de 30 graus no decorrer da semana, porém ao relatar este fim de semana, já estou saudosista do verão que acabou de passar e anexo uma das primeiras fotos do verão deste ano, um fantástico pôr-do-sol da minha cidade.

VISTO DE FORA

Dias sem ir a Portugal: 4 semanas

Nas notícias por aqui, fala-se de Trump, de Clinton e mais Trump!

Sabia que por cá uma viagem de ida simples de metro/autocarro custa 3 dólares (quase €2.70)

Um número surpreendente, mais de 24 mil restaurantes e cafés para comer em Nova Iorque

Nuno Guerreiro

Nuno Guerreiro

NOVA IORQUE, ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA Português que virou nómada e, recentemente, nova-iorquino. Após vivências por Düsseldorf, Barcelona, Dublin, Londres e São Paulo, chama casa a Nova Iorque. Depois de uma década no Google, tornou-se empreendedor na área de tecnologia, ao qual junta outras paixões como música, cozinhados e um gosto insaciável por viagens. Viveu na Margem Sul até aos tempos de faculdade, onde se licenciou em Engenharia Informática pela Universidade Nova. Completou também um duplo MBA, pela London Business School e Columbia University.