Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

  • Qual a diferença entre um Tuga e um Teutónio?

    Bruno Sousa

    DARMSTADT, ALEMANHA - Pobreza e discriminação são handicaps reais que temos que travar, país de origem é um handicap psicológico colectivo que temos que deixar de lado. Temos de adquirir uma dose saudável de “Selbstbewusstsein”

  • Do colectivo para o individual (e vice-versa)

    Catarina Oliveira da Costa

    NAGOYA, JAPÃO - As boas práticas fazem parte das rotinas dos japoneses desde pequeninos. É um princípio de vida básico cada um cuidar do que é seu

  • Feitiços e outros mambos*

    Mariana Palavra

    ANGOLA - Velhinhos acusados de matar netos; balas que trespassam corpos sem deixar marcas nem morte; envenenamentos indiscriminados. Histórias do arco da velha que são parte da magia de Angola. Todos os nomes deste texto são falsos. Não vá o Diabo tecê-las.

  • Correio dos leitores

    Inês Batalha Mendes

    SANTIAGO, CHILE - As crónicas do “Nós Lá Fora” têm sido “a hell of a ride” e um desafio constante, para que a próxima crónica supere sempre a anterior. Pelo bem dos meus leitores

  • Um Português em Nova Iorque

    Nuno Guerreiro

    NOVA IORQUE, EUA - A verdade é que cada vez mais me sinto Português e Nova Iorquino, ao mesmo tempo, e gosto da pluralidade

  • O amigo do emigrante

    Filipa Araújo

    MACAU - Os melhores amigos não percebem a importância que têm em nós. O conforto que nos dão quando vamos a casa, e a vontade que nos trazem de querer ficar. Ficar por e com eles

  • Ode aos pais e mães à distância

    Sofia Silva Eastmond

    NOVA ZELÂNDIA - Perto ou longe, resta-nos honrar da melhor forma o amor que nos une aos corações guerreiros que nos deram vida

  • Da importância do futebol

    António Raúl Reis

    LUXEMBURGO - Eu não gosto de futebol. Se gostasse, neste momento não assumia que sou do Sporting. Se gostasse, não tinha visto apenas dois jogos nos meus primeiros 23 anos de vida

  • O pesadelo do emigrante

    Bruno Sousa

    DARMSTADT, ALEMANHA - Esta forma displicente e inefetiva de prestar alguns serviços, que parece entranhada na nossa cultura corporativa, em particular em serviços públicos, é arrasadora