Segundo a sondagem, 65% dos inquiridos respondem com uma negativa quando interrogados sobre se o centro de detenção situado na base naval norte-americana de Guantanamo deve ser fechado e se alguns dos detidos, acusados de terrorismo, devem ser transferidos para prisões em solo norte-americano.

Mais concretamente, dois terços dos interrogados declararam-se contra o encerramento do centro de detenção e três quartos pensam que os detidos não devem ser transferidos para o solo norte-americano.

Às mesmas questões, 32% responderam afirmativamente.

O inquérito de opinião foi realizado pelo instituto Gallup e é divulgado na edição desta terça-feira do diário USA Today.

A sondagem ilustra as dificuldades com que se defronta o presidente norte-americano, Barack Obama, para tentar convencer os seus compatriotas da necessidade de fechar Guantanamo - onde ainda se encontram 240 detidos - até Janeiro de 2010, como se comprometeu.

Em meados de Maio, o Senado norte-americano recusou o pedido do presidente de 80 milhões de dólares para o encerramento do centro de detenção.

Obama defende ainda a transferência de alguns detidos de Guantanamo para prisões de alta segurança nos Estados Unidos.

Entre os inquiridos, 40 por cento consideram que Guantanamo tornou os Estados Unidos mais seguros, o que afirmava o antigo presidente George W. Bush, contra 18 por cento que pensam o contrário.

A sondagem foi realizada a 29 e 30 de Maio com uma amostra de 1015 adultos e tem uma margem de erro de três pontos percentuais.