Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Presidente da federação ucraniana promete emprego a técnico croata despedido por gozar com a Rússia

Mundial 2018

Presidente da federação ucraniana de futebol expressou o seu apoio à Croácia em pleno parlamento

OLEKSANDR KOSMACH

Vukojevic foi despedido da seleção croata por dedicar a vitória sobre a Rússia à Ucrânia. Mas, se ganhou inimigos no lado russo, viu abrir-se-lhe a porta do futebol ucraniano

Internacional croata Domagoj Vida e o ex-futebolista Ognjen Vukojevic, atual membro da equipa técnica, envolveram-se numa enorme polémica após publicação de vídeo nas redes sociais. Os dois ex-colegas do Dínamo de Kiev entoaram as seguintes frases no Instagram após a vitória frente à Rússia: "Gloria à Ucrânia" e "Esta vitória pertence ao Dínamo (Kiev) e à Ucrânia, força Croácia!"

A Rússia enfrenta sanções internacionais por parte da União Europeia, após a ocupação da península ucraniana da Crimeia, em Julho de 2014 e pelo seu apoio às forças separatistas do leste da Ucrânia.

Estas demonstrações de apoio foram mal vistas pelos mais altos quadros da seleção croata que se decidiram pelo afastamento de Vukojevic do seu cargo de técnico, não o deixando assim concluir o mundial. Esta medida drástica pode também ser uma forma de mostrar à FIFA e às entidades russas que a Federação croata não aceita este comportamento e, assim, tentar minimizar os efeitos da polémica para o central Vida, peça essencial da equipa croata, que, esta quarta feira vai disputar com a Inglaterra um dos lugares na final do Mundial 2018.

Vida declarou, entretanto, ao portal russo sports.ru que apenas "que se tratava de uma brincadeira com os seus amigos e que nada tinha que a ver com a política"

As regras da FIFA são, neste capítulo, muito restritivas e não toleram manifestações com conexão política. Recorde-se, a este propósito, a multa aplicada a dois internacionais da Suíça, Xhaka e Shaqiri, ambos de ascendência albanesa, por estes terem festejado os golos contra a Sérvia com as mãos a fazer a águia bicéfala, símbolo da Albânia, no que foi considerado uma provocação por conta do conflito da perseguição sérvia à minoria albanesa do Kosovo.

As reações ucranianas não tardaram e o Presidente da Federação Ucraniana de Futebol, Andriy Pavelko, surgiu esta terça-feira, no parlamento ucraniano, envergando uma camisola e um cachecol da seleção croata e exprimindo o desejo de contratar o ex-técnico croata. Atitude que foi recebida com uma ovação no "Verkhovna Rada".