Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ronaldo e os seus rivais: quem vai vingar na Rússia?

Mundial 2018

FRANCISCO LEONG

O capitão de Portugal chega ao Mundial com o estatuto de melhor jogador do mundo, mas vai ter de se confrontar com os talentos dos seus maiores rivais. Juntos, os melhores atributos de cada um dariam, por certo, o protótipo do futebolista ideal

Rui Antunes

Rui Antunes

Jornalista

Golos. Cristiano Ronaldo especializou-se em golos. Os dribles ficaram para trás, as correrias loucas pelo campo fora fazem parte do passado. Agora é o último toque, de cabeça ou com qualquer um dos pés, que o elevam a melhor jogador do mundo. O golpe final para dentro da baliza. No Mundial da Rússia, o português confronta-se com quase todas as outras grandes estrelas do futebol mundial, cada uma com características que as fazem sobressari. Qual delas se vai impor é resposta para ser dada a partir de hoje e ao longo do próximo mês.

DE BRUYNE
VISÃO
Aos 26 anos, o médio belga está no ponto: defende, passa, dribla e remata com igual facilidade de execução. Sempre de olhos na baliza adversária.

NEUER
MÃOS
Desde setembro que não joga, mas nem assim a Alemanha abdica do melhor guarda-redes do mundo. Recuperado de uma lesão, é ele e mais dez.

GRIEZMANN
VELOCIDADE
Pode passar despercebido um jogo inteiro que não deixa de ser letal quando a oportunidade espreita. A velocidade de execução do francês muda o rumo dos acontecimentos.

MESSI
DRIBLE
Os argentinos imaginam-no a fintar toda a gente – e se há alguém que pode fazê-lo como Maradona é ele. Falta render na seleção como rende no Barcelona.

SALAH
PÉ ESQUERDO
O melhor jogador da Premier League inglesa carregou o Liverpool na Europa e é a grande esperança do Egito para um brilharete em solo russo.

LEWANDOWSKI
JOGO DE CABEÇA
Na grande área manda o gigante polaco, que de tosco não tem nada. Possante, é exímio no jogo aéreo, mas também um mestre com a bola junto à relva.

INIESTA
INTELIGÊNCIA
“O melhor facilitador de todos os tempos”, chamou-lhe a France Football no pedido de desculpa por nunca o ter coroado com a Bola de Ouro. Uma tremenda injustiça para o pequeno espanhol que, em campo, nunca se engana e raramente tem dúvidas.

SELEÇÃO ISLANDESA
CORAÇÃO
Fazer das fraquezas forças, nunca desistir, deixar a pele em campo. Não são chavões, são as armas destes nórdicos em estreia absoluta em Mundiais, depois de terem encantando o público no Euro 2016.

MODRIC
PULMÃO
O médio do Real Madrid tem pilhas que nunca acabam e será ele, mais uma vez, a coordenar toda a manobra da Croácia.

SUÁREZ
INSTINTO
O goleador de serviço do Uruguai movimenta-se como ninguém em zonas adiantadas e não olha a meios para desferir os seus remates certeiros. Versátil e agitador, não precisa de muito espaço para fazer a diferença.

MATIC
CONSISTÊNCIA
O esquerdino que não sabe jogar mal promete fechar os caminhos da baliza da Sérvia e ser o primeiro impulsionador das investidas no ataque – as suas imagens de marca.

NEYMAR
PÉ DIREITO
Ausente por lesão em 2014, o samba do brasileiro dá redobrada esperança à legião de adeptos da canarinha, que aparenta uma solidez nem sempre vista.