Vagos, 11 nov (Lusa) - O Tribunal de Vagos vai começar a julgar este mês uma professora acusada de ter matado um bebé que acabara de dar à luz, ao esconder o recém-nascido na bagageira do seu automóvel.

O caso remonta a 11 de maio de 2011, quando a mulher, de 42 anos, entrou em trabalho de parto, na casa de banho da escola onde lecionava, no concelho de Vagos, e deu à luz "um feto de idade gestacional superior a 37 semanas, sem quaisquer malformações orgânicas ou disfuncionais".

Depois de cortar o cordão umbilical do recém-nascido, a arguida colocou-o dentro de dois sacos de plástico, na bagageira do carro, onde permaneceu dois dias e acabou por morrer asfixiada, refere o Ministério Público (MP).