"Tivemos a confirmação de que se tratava de Mika Yamamoto", de 45 anos, disse à agência AFP um responsável do Ministério.

A jornalista trabalhava para a Japan Press, uma agência noticiosa japonesa, desde 1995 e já tinha feito a cobertura de vários conflitos armados, designadamente no Afeganistão, no final de 2011, e no Iraque, em 2003, segundo o portal da agência.