O atentado, perpetrado por um bombista suicida, ocorreu numa altura em que se registam violentos combates entre as forças do regime e a oposição armada na capital, pelo quarto dia consecutivo.

A agência estatal, Sana, noticiou que o atentado visou o edifício sede da autoridade de Segurança Nacional, uma das agências de informações do regime de Bashar al-Assad.

O atentado foi perpetrado quando decorria uma reunião entre ministros e responsáveis daquela agência de informações do regime de Bashar al-Assad.

O general Hassan Turkmeni, chefe da célula de crise do Governo sírio e adjunto do vice-Presidente, também foi morto no atentado de hoje em Damasco, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

A informação não foi confirmada oficialmente. Antes, fontes da segurança síria indicaram Turkmeni como um dos feridos no atentado, perpetrado por um bombista suicida na sede da Segurança Nacional, no centro da capital da Síria.

"O general Hassan Turkmeni, atualmente adjunto do vice-Presidente sírio, morreu devido aos ferimentos sofridos no atentado", indicou a organização não-governamental citando "fontes na capital síria".