Admitindo que o chumbo do Tribunal Constitucional (TC) à suspensão do pagamento dos subsídios de férias ou de Natal aos funcionários públicos e aposentados "vem colocar pressão em arranjar soluções", António Mexia defendeu que "a solução de mais impostos sobre o setor privado não faz sentido".

À margem da formalização do acordo entre a EDP e o China Development Bank, no valor de 1.000 milhões de euros, o presidente da elétrica realçou que "uma das bases do programa de reestruturação da economia portuguesa é justamente libertar recursos do Estado para a economia privada".