A primeira vez que vi fotos da nova carrinha Classe E estava na praia.


Comprei uma revista de automóveis para ler junto ao mar e lá estava ela. Imponente, grandiosa, enorme!

Cheguei a casa, procurei as imagens na Internet e publiquei imediatamente no VISÃO Motores.


A Station do Classe E chegou a Portugal em Novembro de 2009.


Alguns meses depois aqui estou eu ao volante de uma das carrinhas mais carismáticas e requintadas do segmento Premium. A grande rival da BMW Série 5, Audi A6 e Volvo V70.


Certo dia decidi comemorar o meu aniversário no Porto. Tinha uma namorada que vivia num apartamento fantástico com vista para o Douro. Convenceu-me que tinha de comemorar os 18 anos consigo na Invicta.


Um dos bares preferidos da minha namorada ficava na ribeira. Chamava-se "O meu Mercedes é maior do que o teu". Um nome original! Estávamos nos anos 80. Recordo-me que o bar era fantástico, que o Swing e o Twins eram as discotecas da moda e que o final de noite terminava ao ritmo dos FM, Journey, DAD ou Russ Ballard no Batô, em Leça da Palmeira.


No caso desta carrinha, dificilmente alguém na estrada vai dizer que tem um Mercedes maior do que o meu.


Não vou maçar os estimados leitores do VISÃO Motores com dissertações sobre a história e a boa fama da Mercedes em Portugal. Contudo, não posso deixar de recordar uma reportagem que escrevi sobre os carros preferidos dos taxistas onde praticamente todos elogiaram a durabilidade dos carros da marca de Estugarda, em particular o mítico 190D.


VISÃO Motores - Mercedes Classe E Station

No caso da mais recente geração Classe E posso garantir que desfrutamos do melhor que um automóvel nos pode oferecer. Comportamento dinâmico eficaz, tecnologia, segurança e conforto exemplar.


A nova Station do Classe E é considerada uma das referências do segmento "Premium" há mais de 30 anos. Desde o lançamento do primeiro modelo, em 1977. Esta é a quinta geração!


A carrinha Classe E transmite-nos imediatamente uma sensação de espaço. Ao observarmos de lado, os pilares B e C parecem fundir-se na traseira. Isto contribui para a alongada forma arqueada que se estende desde o pilar A até à linha do tejadilho. As luzes de LED traseiras baseiam-se num design de duas unidades, criando a sensação do painel lateral continuar até à porta da mala. A capacidade de carga é referencial ao disponibilizar até 1.950 litros.


VISÃO Motores - Mercedes Classe E Station

O sistema de gestão do compartimento de carga é de série. De referir a abertura e fecho automático da mala "Easy-Pack", com levantamento automático da cobertura do compartimento de carga ou o estrado dobrável, que aumenta consideravelmente a altura útil do compartimento de carga. Este pode ser rebatido e fixar-se em várias posições. No interior do habitáculo a qualidade dos materiais e a montagem dos diversos painéis é impecável, no entanto, existem alguns comandos e botões que mereciam uma aparência menos conservadora.


A Mercedes-Benz estreou neste modelo uma série de inovações tecnológicas. Algumas integram o equipamento de série, e, muitos, muitos opcionais. O sistema "quickfold"" permite rebater os encostos dos bancos traseiros a partir do compartimento de carga, deixando de ser necessário ajustar previamente os apoios de cabeça e os assentos dos bancos traseiros. As duas secções desbloqueiam-se e rebatem-se, sendo possível o transporte de objectos longos e de grande dimensão.


A carrinha Classe E dispõe do sistema "Attention Assist", que dispõe de sensores que controlam constantemente mais de 70 parâmetros diferentes, faróis adaptativos que se adaptam às condições de tráfego ou o sistema de travagem de emergência automática (activada na iminência de uma colisão). Dispõe, ainda, do sistema de controlo da distância "Distronic Plus".


De série, a carrinha encontra-se equipada com nove airbags que activam-se em milésimos de segundo na iminência de um acidente e incluem dois airbags adaptativos para o condutor e acompanhante, um airbag para os joelhos do condutor, dois airbags laterais nos encostos dos bancos dianteiros e dois windowbags de grande dimensão que se estendem do pilar A ao pilar C. Pela primeira vez, estão incluídos pelvisbags para os ocupantes da frente, que reduzem as forças que actuam sobre o dorso e a zona pélvica numa colisão lateral. Opcionalmente, estão disponíveis airbags laterais para os bancos traseiros.


VISÃO Motores - Mercedes Classe E Station

Ao volante foi possível confirmar o conforto proporcionado pela suspensão com regulação automática "Direct Control", que dispõe do sistema adaptativo de amortecimento fornecido de série. O ajuste da suspensão foi adaptado de modo a corresponder à modificada geometria do chassis, com amortecedores e estabilizadores de barra de torsão ligeiramente mais rígidos. O comportamento é eficaz e o motor 3.0 diesel de 231 CV, consegue dar conta das duas toneladas e meio de peso. É um motor de seis cilindros em V que proporciona um binário de 540 Nm que contribuíram para uma condução descontraída em diversas faixas de regime. A caixa automática de sete velocidades sequencial com patilhas no volante funciona na perfeição. Consegui consumos médios de 9,2 litros.


A carrinha E 220 CDi de 170 CV é a mais acessível com um preço a partir de 43.750 euros. De qualquer forma, a versão E 250 CDI, com 204 CV de potência e um binário máximo de 500 Nm deverá ser "o cavalo de batalha" da marca para o mercado português com um preço a partir de 47.300 euros. A gama de motorizações disponíveis para a Station inclui desde a primeira fase de comercialização cinco unidades de propulsão que debitam entre 170 e 388 CV.


A versão que testei incluía o Pack desportivo AMG (20.750 euros) com estofos em pele, tapetes em veludo com logótipo AMG, bancos e volante desportivos, patilhas de selecção da caixa de velocidades integradas no volante, forro do tejadilho em tecido preto, pack estético exterior com pára-choques específicos, jantes de liga leve de cinco raios e 18 polegadas, além da suspensão desportiva "Direct Control". Este pack transmite uma aparência sofisticada e ao mesmo tempo desportiva. A station da Classe E é uma carrinha que vale pela qualidade demonstrada, a imagem de marca forte e os valores de retoma elevados.


A carrinha Classe E 350 Blue Efficiency 7 G-Tronic com o motor diesel 3.0 CDI de 231 CV que conduzi está disponível com um preço a partir de 79. 752 Euros. Claro que se juntarmos o Pack Desportivo AMG são mais 20.750 euros.