A filha do pediatra acusa-o de a ter submetido várias vezes a uma prática conhecida como "waterboarding" e que consiste em simular o afogamento, neste caso forçando-a a manter o rosto debaixo de uma torneira com água corrente.

A defesa do médico garante que tudo não passa de uma forma de "chamar a atenção" e alega que não é a primeira vez que a menina, de 11 anos, fez uma acusação falsa contra um membro da sua família.

Quando foi detido, na última terça-feira, Melvin Morse, 58 anos, estava em liberdade sob fiança, depois de , em julho, ter agarrado a filha por um tornozelo, arrastando-a para o interior da casa, onde a terá espancado, sob o olhar da filha mais nova, de seis anos.